Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Advento

“Chegou o Advento. Que bom tempo para remoçar o desejo, o anelo, as ânsias sinceras pela vinda de Cristo!, pela sua vinda quotidiana à tua alma na Eucaristia! "Ecce veniet!", está a chegar!, anima-nos a Igreja” - Forja, 548


O Advento (do latim Adventus: "chegada", do verbo Advenire: "chegar a") é o primeiro tempo do Ano litúrgico, o qual antecede o Natal. Para os cristãos, é um tempo de preparação e alegria, de expectativa, onde os fiéis esperam o Nascimento de Jesus Cristo. É tempo de espera e esperança, de estarmos atentos e vigilantes, preparando-nos alegremente para a vinda do Senhor, como uma noiva que se enfeita, se prepara para a chegada de seu noivo, seu amado.

Quando virá, Senhor, o dia em que apareça o Salvador?
E soe o brado de alegria: "Nasceu no mundo o Redentor!"



Filha de Reis, ó Virgem Pura! Mostra-Te, sai da escuridão!
Deus, para salvar a criatura, quer ter em Ti Sua mansão.

Esse tempo possui duas características: Nas duas primeiras semanas, a nossa expectativa volta-se para a segunda vinda definitiva e gloriosa de Jesus Cristo, Salvador e Senhor da história, para o Juízo Final, no fim dos tempos. As duas últimas semanas, visam em especial, a preparação para a celebração do Natal, a primeira vinda de Jesus entre nós. Por isto, o Tempo do Advento é um tempo de piedosa e alegre expectativa. Uma das expressões desta alegria é o canto das chamadas "Antífonas do Ó", assim chamadas porque todas as antífonas da Liturgia das Horas deste período iniciam com a letra O.

O tempo do Advento é tempo de esperança porque Cristo é a nossa esperança (I Tm 1, 1); esperança na renovação de todas as coisas, na libertação das nossas misérias, pecados, fraquezas, na vida eterna, esperança que nos forma na paciência diante das dificuldades e tribulações da vida, diante das perseguições, etc.

O Advento também é tempo propício à conversão. O Advento também é tempo mariano.



Em Maria cumpre-se, assim, o mistério do Advento. Ela é a aurora que precede, que anuncia, que traz em seu seio o Dia Novo que está para surgir. Assim como na aurora se projeta a luz do Sol, de onde surge a vida, assim também, em Maria Imaculada, se reflecte o poder da Redenção, do Sol da Justiça, do Salvador que está para vir.
 
Que unido ao nosso Santo Anjo da Guarda, possamos viver a graça deste tempo, com os olhos voltados à Virgem Maria.
 
Não há melhor maneira de se viver o Advento que unindo-se a Maria Santíssima como Mãe, grávida de Jesus, esperando o seu nascimento. Assim como Deus precisou do sim de Maria, hoje, Ele também precisa do nosso sim para poder nascer manifestar-Se no mundo; assim como Maria Se preparou para o nascimento de Jesus, a começar pele renúncia e mudança de seus planos pessoais para sua vida inteira, nós precisamos de nos preparar para viver este Santo nascimento em nós mesmos e no mundo, também numa disposição de "Faça-se em mim segundo a sua Palavra" (Lc 1, 38), permitindo uma conversão do nosso modo de pensar, da nossa mentalidade, do nosso modo de viver e de agir.


Fonte: Meditando o Natal com S.Josemaria

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Para refletir!!


Se busca um exemplo de obediência, segue ao que se fez obediente ao Pai até a morte (Cristo).

                                                                           - Santo Tomás de Aquino

terça-feira, 22 de novembro de 2011

O Santo Anjo guarda a pureza de Santa Cecília

Os mártires são a glória mais fúlgida da Igreja, pois não há maior amor do que aquele que dá a vida pelos amigos. Os mártires derramaram o próprio sangue por amor a Cristo. Eles brilham como estrelas de primeira grandeza no firmamento da eternidade divina.


“Hoje a Igreja celebra a festa de Santa Cecília que foi uma das santas mais veneradas durante a Idade Média. O bispo Adelino, em seu livro A virgindade, diz que Cecília é a segunda, entre as virgens, depois de Nossa Senhora, porque ela guardou a virgindade, mesmo sendo desposada, e a sublimou com seu glorioso martírio. É, de fato, uma das poucas virgens que teve o privilégio de ter o próprio nome incluído no cânon da santa missa e é a santa que conta com o maior número de igrejas dedicadas a seu nome, em Roma. A história de seu martírio ficou registrada na Paixão de Santa Cecília. Embora alguns detalhes desta narrativa sejam frutos de elaboração poética, a substância do relato é reconhecida como verídica pela maior parte dos cultores da história da Igreja antiga”[1].

Pertencia Cecília à mais antiga nobreza romana, Gens Caecilia, famosa já no século V antes de Cristo, quando se conta de uma certa Caia Cecília que ficou na história como protótipo de fidelidade matrimonial, e sua estátua era venerada no Capitólio. Fala-se também de uma outra Cecília da qual escreveu Plutarco: “Tinha Cecília Metela, além de sua grande beleza, outros dotes para cativar os homens. Era discretamente entendida em letras, tocava muito bem a lira, estudou geografia e gostava de propor com talento e fruto questões filosóficas. Mas o principal é que não se viu nela frivolidade…”

Tal deve ter sido também a educação de Cecília e com muito maior razão por ser cristã.

As notícias relativas à história desta santa nos apresentam Cecília de nobre família, como virgem consagrada pelo voto de castidade a Cristo. Sem seu conhecimento, foi prometida pelos pais em casamento a um nobre jovem de nome Valeriano. No dia das núpcias Cecília cantava em seu coração o hino da pureza e declarou a Valeriano, ainda pagão, como ela pertencia totalmente a Deus e que um Anjo guardava sua virgindade consagrada.

Valeriano respondeu que acreditaria se visse o Anjo. Então Cecília o apresentou ao Papa Urbano para que o preparasse ao batismo. Deste encontro resultou a conversão de Valeriano que recebeu o batismo e pode assim ver o Anjo ao lado de Cecília. O Anjo segurava nas mãos duas coroas de flores simbolizando o martírio que em breve devia glorificar Cecília e Valeriano.

Tibúrcio, irmão de Valeriano, quis igualmente receber o batismo. Pouco depois, acusados de cristãos ante o prefeito da cidade, negaram-se a receber o certificado de ter sacrificado aos deuses, mediante dinheiro. Foram então decapitados. Cinco meses depois, Cecília era condenada à morte por asfixia no quarto de banho superaquecido. Mas seu corpo foi encontrado ainda vivo. Um golpe de espada deu fim àquela santa existência. O Papa Urbano mandou recolher seu corpo e depositá-lo nas catacumbas de São Calisto bem perto da cripta dos Papas. Devia ter sido o ano 225. Mais tarde foi transportado para a basílica dedicada a Santa Cecília, construída sobre a antiga casa dos Cecílios, no Trastévere.

O ofício da missa desta santa traz como antífona um tópico das atas do martírio da santa, no qual diz que, no dia do casamento, ouvindo os sons dos instrumentos musicais, teria elevado o coração a Deus nestas piedosas aspirações: “Senhor, guardai sem mancha meu corpo e minha alma, para que não seja confundida”. Daí, a tradição que Cecília tocasse a harpa, merecendo ser declarada padroeira dos músicos. De fato, os artistas da Renascença representam Santa Cecília com um instrumento musical nas mãos e músicos e cantores a celebram como sua protetora. A espada cruel cortou suas cordas vocais, mas seu coração canta no céu eternamente o hino de louvor ao Esposo Divino.

[1] Pe. Luís Palacín. Santos do atual calendário litúrgico. São Paulo, Ed. Loyola, 1982, p. 179.
CONTI, D. Servilio. I. M. C. O Santo do dia. 7a. edição. Petrópolis: Editora Vozes, 1999, p. 519-522.

Fonte: http://www.mulhercatolica.org

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Oração

"Senhor DEUS, Pai Celestial, que nos deste Vosso Filho Unigênito para nos redimir pela Sua morte na Cruz, tornai eficaz em nós este fruto de redenção.


Mandai os Vossos Santos Anjos nos ajudrem, a fim de que, por meio deles, reconheçamos sempre melhor este grandioso ato de Redenção, sigamos sempre mais conscientemente a Palavra e a Vontade de DEUS e, um dia, possamos agradecer-Vos com todos os Santos Anjos, por toda Eternidade. Amém."

- Trecho da oração: O Anjo da Paixão.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

História do Santo Anjo

Servem a São Domingos e a seus frades à mesa




Outro dia vieram advertir São Domingos que não havia mais nada para comer. Ele, no entanto, fez soar o sino da refeição, os religiosos se reuniram no refeitório, e quando todos estavam sentados diantes de suas mesas, dois Anjos apareceram. Cada um deles trazia um tecido branco preso às costas e na frente, e dele tiravam um pão que colocavam diante de cada religioso. Então pediu São Domingos aos frades encarregados de servir a mesa que servissem o vinho. Eles responderam: "Mas, Pai santo, não hámais!" Então o bem-aventurado Domingos, cheios do Espirito de Profecia, disse-lhe: "Vão até o barril e sirvam aos Irmãos o vinho que o Senhor lhes mandou". Eles foram, e realmente encontraram o barril cheio de excelente vinho, que se apressaram a servir. E Domingos disse:"Bebam,meus irmãos, o vinho que o Senhor nos enviou".





Fonte: Os Anjos na vida dos Santos - Ed. Wordpress.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

História do Santo Anjo

São Domingos de Gusmão


A Vida de São Domingos de Gusmão, fundador dos Dominicanos, é pontilhada da presença dos Anjos. Conta-se, por exemplo, que um dia, passando por Siena, o Bispo quis absolutamente que ele se alojasse em seu palácio. Mas como o servo de Deus não podia dispensar-se e guardar em toda parte uma estrita observância, não deixava de se levantar todas as noites com seu companheiro para ir à igreja rezar as Matinas. E Deus, por um efeito de sua providência e de sua bondade, enviava-lhes dois Anjos que os conduziam com archotes, os levavam até perto da igreja, e depois de volta até seu quarto, da mesma maneira que haviam saído. O que foi visto primeiramente pelos criados do Bispo, e depois pelo próprio Bispo.

Fonte: Bollandistes, tomo XI, pp.293 e ss

sábado, 12 de novembro de 2011

Angelus

Oracion a Maria hecho canto.




Angelus
                                                      Hermana Glenda

El angel vino de los cielos
Y en maria le anuncio
El gran misterio de dios hombre
Que a los cielos admiro
El gran misterio de dios hombre
Que a los cielos admiro
Ave, ave, ave maria
Ave, ave, ave maria.

Yo soy la esclava de dios
La virgen dijo al contestar
Que se haga segun me has dicho
Segun planee su voluntad
Ave, ave, ave maria
Ave, ave, ave maria

Y el verbo para redimirnos
Tomo su carne virginal
Viniendo hecho hombre entre nosotros
Librandonos de eterno mal

Ave, ave, ave maria
Ave, ave, ave maria
Ave maria
Ave maria

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Um auxílio na noite

Esta história aconteceu em Chicago durante a época da grande Depressão econômica (1930-1933).


Numa manhã, o Dr. Brown foi bruscamente despertado pela insistência do toque do telefone. Ao atender, ainda sonolento, ouve uma voz áspera e tensa que fala de maneira suplicante:

-"É o senhor, Dr. Brown?"

-"Sim, sou eu".

-"Por favor, venha depressa, trata-se de um assunto de vida ou morte!"

-"Sim, já vou…! Espere, aonde o senhor mora?

-"Na Rua Alan nº 17.Por favor, venha imediatamente!

O Dr Brown se vestiu depressa, pegou suas coisas e se dirigiu para Rua Alan. Que solidão, estava caminhando sozinho e a noite pelas ruas escuras, o lugar ao qual se dirigia era muito afastado do centro, um bairro muito perigoso, nem durante o dia poderia sentir se seguro.

O Dr. Brown encontra com facilidade a casa. O ambiente lhe chama a atenção, parecia não ter ninguém, nem ao menos uma luz. Bateu na porta e aguardou uma resposta, bateu outra vez e aguardou uma resposta, pela terceira vez bate na porta e uma voz áspera pergunta:

- Quem é?

-Sou o médico, o Dr. Brown, recebi uma chamada de urgência da Rua Alan nº17.

-Sim, mas não chamei você. Vá embora!!!

Doutor Brown ainda procurou alguma casa que realmente precisasse de ajuda, mas todas estavam escuras, não demonstrava ter nenhum movimento. Dr. Brown pensou que talvez tivesse anotado o número errado, ou quem sabe uma brincadeira de mau gosto. De toda forma, não havia mais remédio a não ser voltar para casa.

Um tempo depois, Dr. Brown recebeu uma chamada de urgência de um Hospital, a enfermeira explicou que um tal de John Tuner, encontrava-se em estado crítico, havia sofrido um grave acidente e pedia com urgência o Dr. Robert Brown.

-"Doutor, por favor aprece, este senhor está a ponto de morrer e não quer ajuda, quer falar somente com o senhor.”

Doutor Brown prometeu que iria imediatamente, e estava seguro de não conhecer John Tuner.

-"Doutor Brown, o senhor não me conhece, mas devo falar-lhe antes de morrer, para pedir-lhe perdão. O senhor deve recordar-se de uma chamada que recebeu a noite em umas semanas atrás.

-"Sim, mas…"

-"Era eu. Sabe senhor, tem vários meses que não trabalho, vendi todas as minhas coisas de valor e pense, não conseguia alimentar minha família! Não podia continuar vivendo vendo meus filhos sofrendo! No meu desespero, decidi chamar no meio da noite um médico. Meu plano era matá-lo, roubar o dinheiro e vender seus instrumentos. Então, o médico estava paralisado de medo, não pode mais que replicar:

-"Eu cheguei a sua casa, mas então, por que não me matou?

-"Eu pensei que o senhor iria sozinho, mas quando vi ao seu lado estava um jovem forte e enorme, me deu medo de fazê-lo. Por esta razão despedi bruscamente. Por favor, perdoe-me!

-"Sim, claro" –murmurou aturdido doutor Brown.

Um estremecimento lhe correu pelas costas. Não tinha a menor dúvida do que pareceu um erro ou brincadeira de mau gosto era uma trama mortal que havia se livrado por um milagre... muito menos que seu Anjo da Guarda o havia salvado a vida naquela noite.

Como são maravilhosos os caminhos de Deus! Com quanta freqüência nosso Anjo da Guarda nos protegem sem que tenhamos consciência de sua tão grandiosa ajuda.

Fonte: www.opusangelorum.org/espanol/espanol.html

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

O Livro de Tobias


"São Rafael nos é apresentado sobretudo no Livro de Tobias como o Anjo ao qual é confiado a tarefa de curar. Quando Jesus envia os seus discípulos em missão, com a tarefa do anúncio do Evangelho, está sempre ligada a de curar.
O bom samaritano, acolhendo e curando a pessoa ferida que jaz à beira da estrada, torna-se silenciosamente uma testemunha do amor de Deus. Este homem ferido, com necessidade de curas, somos todos nós.
Anúnciar o Evangelho, já em si é curar, porque o homem precisa sobretudo da verdade e do amor.
Do Arcanjo Rafael são referidas no Livro de Tobias duas tarefas emblemáticas de cura: Ele cura a comunhão importunada entre homem e mulher, cura o seu amor, afasta os demônios que, sempre de novo, rasgam e destroem o seu amor. Purifica a atmosfera entre os dois e confere-lhes a capacidade de se receberem reciprocamente para sempre."

- Homilia do Papa Bento XVI na Festa dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael, 29 de setembro de 2007.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Para pensar!!!

Cada santo Anjo,mesmo pleno de felicidade diante do trono de Deus, quer servir a Deus. Não quer saber de outra coisa senão de Deus ou daquilo que lhe pertence, daquilo que vem d'Ele e a Ele conduz.


"Da sua bondade a terra está cheia. Pela palavra do Senhor foram feitos os céus, pelo sopro de sua boca tudo quanto os enfeita. Como num dique recolheu as águas do mar, encerrou em comportas os oceanos. Que toda a terra tema o Senhor, tremam diante dele todos os habitantes do mundo."
                                                         - Sl 32, 5-8

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Dica de Livro

Tobias e Rafael
Um homem e um Anjo
Reflexões espirituais sobre o livro de Tobias
                                                       - Titus Kieninger ORC


São Rafael ensinou a verdadeira fórmula para se alcançar a santidade cristã: oração, jejum e esmolas. Também instruiu sobre a consequência das escolhas que são feitas. Lembrou ainda ao jovem Tobias que a oração é o primeiro dever e que deveria obedecer ao pai. Ensinou a guardar o silêncio e a louvar a Deus sem cessar pelas maravilhas operadas por Ele no mais íntimo de nossa alma.


A historia do Livro de Tobias na Sagrada Escritura é a teologia aplicada!!

Este livro é imperdível e você poderá adquirir na Obra dos Santos Anjos nos seguintes endereços:

* Site - http://www.opusangelorum.org/
* Obra da Santa Cruz, Anápolis - GO, (62) 3099-1101 - www.cruzios.org ou anapolis@cruzios.org
* Mosteiro de Belém,Guaratinguetá - SP, (12) 3122-9299 - santosanjoslivraria@gmail.com