Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

sábado, 26 de julho de 2014

LIGAÇÃO ESPECIAL COM O ANJO DA GUARDA




O Anjo da Guarda é o auxílio certo contra os espíritos malignos que nos tentam e afligem, pois já no começo o nosso Anjo da Guarda, sob a guia do Santo Arcanjo Miguel, participou da vitória contra os espíritos malignos. Como espírito pode facilmente reconhecer o tentador e afugentá-lo em virtude da graça. Se, no entanto, Deus permitir ao inimigo peneirar-nos como Jó (1,12; 2,6), como Pedro (Lc 22,31) ou como Paulo (2 Cor 12,7-8), não nos falta, apesar disso, a assistência confortante do Santo Anjo da Guarda. Com sua ajuda somos capazes de sempre manter a fidelidade a Deus.
Quanto devemos ao Anjo da Guarda! Quem seria capaz de lhe pagar um salário devido? Um amor tão fiel somente pode ser correspondido com fidelidade, amor e confiança. Por isso nos entregamos a ele com muito gosto e lhe prometemos nosso amor e fidelidade. Se nós somos fracos, ele, que "contempla sem cessar a face do Pai que está nos Céus" (Mt 18,10), está firme e imutavelmente ancorado em Deus. Esta firmeza ele nos quer proporcionar, ajudando-nos, mediante a luz da graça de que é dotado, a acreditar ainda mais firmemente em Deus, a confiar ainda mais fortemente no Seu auxílio e a amar ainda mais desinteressadamente a Deus e ao próximo.
Por toda a eternidade estaremos unidos em íntima amizade ao Anjo da Guarda e reinaremos com ele no Reino de Deus. Deste modo podemos compreender as palavras de São Tomás de Aquino: "a todo homem, enquanto é viajor, é dado um Anjo da Guarda. Quando, porém, já tiver chegado à meta do caminho, não terá mais um Anjo da Guarda; no entanto, terá no Reino o Anjo reinando com ele" (Summa Theologiae113, 4c).

http://cumsanctisangelis.blogspot.com.br

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Criado para a Adoração


Os anjos no céu contemplar constantemente a face de Deus (cf. Mt. 18,10). 

Para a adoração que eles foram criados, a adoração é o seu cumprimento. Vivem para a ampliação da glória de Deus. Todo o seu ser e todas as suas atividades estão imersos na santidade de Deus. Eles são eternamente um com Deus (cf. Jo 17, 21-22), desfrutando de uma felicidade absolutamente além da compreensão, mas ao alcance daqueles que a recebem. Mesmo enquanto eles estão cuidando de toda a criação, mesmo quando eles estão nos ajudando em nossas provações e batalhas contra as forças das trevas, eles nunca desviam seu rosto do rosto de Deus. Na verdade, este, adorando-união de amor com Deus é a fonte, não só de toda a sua bem-aventurança, mas as de seu amor por nós, e de toda a graça, a luz e ajudar a que se comuniquem conosco.

Modelos para a Humanidade

Acima de tudo, devemos aprender a adoração dos santos anjos, a humanidade também foi criado para a adoração e glorificação de Deus. Nós temos mais dificuldade, porque não podemos ver a Deus, porque podemos adorar somente na obscuridade da fé. Os anjos, por isso, ajuda-nos e ensina-nos a rezar com eles: "Louvor, e glória e sabedoria, e ação de graças, e honra, e poder, ao nosso Deus para todo o sempre!" (Ap 7, 12).  O Anjo pode adequadamente cumprir todos os seus deveres mesmo voltando a Deus e nunca para longe de Deus, porque ele permanece imerso na adoração perpétua. 
Para a nossa própria oração podemos aprender essas coisas a partir do exemplo do Anjo:

1) orar sempre,
2) para nunca retirar nosso semblante de Deus,
3) de permanecer constantemente na presença de Deus.

Assim é como podemos orar sempre:

1) permanecendo unidos  e fazendo a vontade de Deus:
2) oferecendo tudo o que podemos durante o trabalho, dirigindo o nosso espírito a Deus,
3) oferecendo todas as nossas obras a Deus, especialmente a cada cruz e sofrimento.

Jesus ensinou seus discípulos que "eles devem sempre rezar e não desanimar" (Lc 18,1). Deixe sua oração e seu trabalho ser um sacrifício agradável diante de Deus, e oferecê-lo nele e com ele, e através dele.

Não nos esqueçamos de agradecer o Anjo por sua ajuda!

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Padre Pio e o Santo Anjo da Guarda



Pe. Pio vivia numa profunda intimidade com Jesus, Nossa Senhora e seu Anjo da Guarda.

Falava com Eles como quem fala com amigos íntimos.
Tinha em seu Santo Anjo um companheiro que sorria com ele, sofria com ele e sabia animá-lo nos momentos mais difíceis.

Desde sua infância teve o privilegio de conviver intimamente com ele. Escreve Pe. Eusébio (confrade de Pe. Pio):
“Ele (o Anjo da Guarda) iniciou o seu trabalho cedo, quando Pe. Pio ainda era menino. Ele tomou o semblante de outra criança e se fez visível para ele. Pe. Pio começou a chamar o seu Anjo da Guarda de ‘o Companheiro de minha infância’... Pe Pio brincava com ele...” E o considerava “um amigo do Céu que fez feliz sua infância e o aproximou da Eternidade”

Opus Sanctorum Angelorum

terça-feira, 1 de julho de 2014

Pare de falar aquilo - testemunho


Sou uma religiosa e trabalho no Vale Paraíba, SP. Quero contar o seguinte fato que aconteceu há cinco anos.
Foi quando conheci Miriam, jovem prostituta de 22 anos e com duas filhas, a mais velha com dois anos e meio. Como trabalhamos, também, com prostitutas que desejam uma nova vida, Miriam pediu que a ajudássemos; disse que desejava voltar para casa de seus familiares, no interior, mas a "gerente" lhe dissera que se fizesse "tal burrice" as meninas ficariam, pois significavam um ótimo investimento. Ante o impasse, conversamos sobre os Santos Anjos e combinamos que estaríamos confiando a eles a nossa causa.
Uns vinte dias depois, recebi um recado de Miriam: ela fora hospitalizada com uma forte cólica renal, mas já recebera alta hospitalar e estava decidida com a possibilidade de realizar seu desejo: deixar aquela vida e retornar à família; estava disposta a fugir, mas não o faria sem as filhas. Pediu-me que fosse até o local, oferecesse dinheiro e retirasse as meninas. Ela estava confiante que daria certo.
No dia seguinte, pela manhã, entreguei-me, mais uma vez, aos Santos Anjos e fui até o local. A "gerente" recebeu-me muito irada. Disse-me que eu ficaria no lugar da Miriam, em todos os sentidos; disse-me, ainda, que iria desnudar-me e iria encarregar-se de mim até o "chefão" chegar. Algumas "garotas" se aproximaram e também uns três homens.
Ardentemente pedi ao Santo Anjo que me protegesse e rezasse comigo a oração do "Sanctus..." que rezamos na Santa Missa. Rezava à meia voz e senti-me segura. A "gerente" tentou tocar-me, mas, há uma distância de uns vinte centímetros, mais ou menos, ela se sentiu presa, imóvel. Irritada, gritava que eu parasse de "falar aquilo", pois "uma coisa" a estava segurando. Durante quarenta e cinco minutos ela gritava, ameaçava, mas não conseguia mover-se. Foi quando chegou o socorro e ela, fugiu assustada, gritando que eu deveria parar de "falar aquilo".
Conseguimos, assim, retirar as crianças e entregá-las à mãe, ajudando-a para que retornassem aos seus familiares.

Santo Aarão


Pertence aos santos do Antigo Testamento. O santo de hoje era irmão de sangue de Moisés.
Seu testemunho está nas Sagradas Escrituras no Pentateuco, no Salmo 98 e no livro do Eclesiástico.
“Exaltou também a Aarão, santo como ele, seu irmão, da tribo de Levi. Confirmou para ele uma aliança eterna, deu-lhe o sacerdócio do seu povo, encheu-o de felicidade e de glória. Moisés consagrou-lhe as mãos e o ungiu com o óleo santo. Foi-lhe, pois, concedido por aliança eterna, a ele e à sua descendência, enquanto durar o céu: servir ao Senhor e exercer o sacerdócio, e abençoar o povo em seu nome.” (Eclo 45,7-8.18-19)
Aarão é exemplo de fidelidade e de ‘sim’ a Deus.
Santo Aarão, rogai por nós!