Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Santo Anjo da Guarda, estou consciente de sua presença?

Já passamos da metade do primeiro mês do novo ano, que trouxe consigo muitos desejos e bons propósitos. "Ano novo, vida nova”, costuma-se dizer.


 
 O que acontece é que, ao longo de um ano, vamos experimentando nossas fraquezas e limitações, bem como nosso pecado. Muitas vezes, nós nos sentimos frágeis e fracos; outras vezes, consideramo-nos fortes e capazes de vencer qualquer obstáculo.
 
 Tudo isso é uma confirmação da complexidade que existe em nosso ser. Somos seres complexos, nosso ser e agir passam de um estado a outro.
 
 É por este motivo que convido você a aproveitar este novo ano para cultivar uma amizade especial com seu anjo da guarda. Não se esqueça da presença desse companheiro, desse amigo que Deus enviou para proteger o que é autenticamente seu e o que o constitui como pessoa: seu “eu”.
 
Você foi criado à imagem e semelhança de Deus. Que este seja um ano no qual essa imagem de Deus possa se plasmar cada vez mais em você; que essa semelhança se irradie em suas ações e em seu viver.
 
 Esta amizade com o anjo não depende do seu signo do zodíaco, nem do dia em que você nasceu, nem de técnicas, cores ou aromas.
 
 A amizade com o anjo depende de um desígnio de Deus. O próprio Deus quis lhe enviar um amigo para proteger, custodiar essa imagem dele que há em você.
 
 Seu anjo da guarda vê continuamente o rosto do Pai que está nos céus (Mt 18, 10) e, como recorda Romano Guardini, em Deus, o anjo vê a verdade do homem de uma maneira própria; o anjo lê esta verdade, vê como ela é ameaçada pela fraqueza do ser humano. Por isso, ele conhece a pessoa que é sua amiga, tanto no admirável quanto no precário, até o fundo de sua intimidade.
 
 O anjo da guarda se interessa por toda a sua vida; nada do que lhe acontece é indiferente para o seu anjo.
 
 Neste ano que começa, você não está sozinho: seus propósitos e desejos vão se realizar na medida em que você puder contar com alguém ao seu lado, que o conhece e o vê à luz do amor de Deus.
 
 Seu anjo não o julga e não o condena, só deseja que você consiga ser aquilo para o qual foi criado pelo próprio Deus.
 
 Que neste ano cresçamos em santidade, em autenticidade; que deixemos os medos que nos paralisam e nos esforcemos por superar as limitações e fraquezas que nos impedem de continuar.
 
 Acudamos ao anjo, pois ele nos traz a luz de Deus e nos reconfortará nos momentos difíceis e tristes, nos fortalecerá nos momentos de abatimento, nos consolará em cada instante da nossa vida.
 
 Não se deixe enganar pelos falsos horóscopos dos anjos e mensagens dos anjos segundo a hora do seu nascimento. Isso entristece seu anjo da guarda.
 
 Reze e una-se ao seu anjo, dizendo-lhe: “Santo anjo do Senhor...”. Reze e saúde Nossa Senhora ao meio-dia, com a oração do Ângelus. Confie seu dia ao anjo da guarda ao acordar; agradeça-lhe à noite pela assistência que lhe deu e pela oração que lhe proporcionou.

sábado, 17 de janeiro de 2015

A união do homem e Anjo

Jesus Cristo não é só o centro dos homens, mas também dos Anjos: «Cristo é o centro do mundo angélico. São seus os Anjos... São seus porque foram criados por e para Ele... São seus, mais ainda, porque Ele os fez mensageiros de seu projeto de salvação» (CIC 331). «Eles aí estão, desde a criação e ao longo de toda a História da Salvação, anunciando de longe ou de perto esta salvação e servindo ao desígnio divino de sua realização» (CIC 332). Por isso, este serviço se refere ao próprio Verbo encarnado e ao Seu Corpo na terra, a Igreja. «Desde a Encarnação até a Ascensão, a vida do Verbo Encarnado é rodeada da adoração e do serviço dos Anjos... Protegem a infância de Jesus, servem a Jesus no deserto, confortam-no na agonia, embora tivesse podido ser salvo por eles da mão dos inimigos, como outrora fora Israel. São ainda os anjos que “evangelizam”, anunciando a Boa Nova da Encarnação e da Ressurreição de Cristo. Estarão presentes no retorno de Cristo, que eles anunciam, a serviço do juízo que o próprio Cristo pronunciará» (CIC 333).
 
«Do mesmo modo, a vida da Igreja se beneficia da ajuda misteriosa e poderosa dos Anjos» (CIC 334). «Em sua Liturgia, a Igreja se associa aos Anjos para adorar o Deus três vezes Santo; ela invoca a sua assistência... Além disso; festeja mais particularmente a memória de certos Anjos (S. Miguel, S. Gabriel, S. Rafael, os Anjos da guarda)» (CIC 335).
 
Deste modo, «desde o início até a morte, a vida humana é cercada sua proteção e por sua intercessão. “Cada fiel é ladeado por um Anjo como protetor e pastor para conduzi-lo à vida”. Ainda aqui na terra, a vida cristã participa na fé da sociedade bem-aventurada dos Anjos e dos homens, unidos em Deus” (CIC 336). Com razão, portanto, a «Igreja venera os Anjos que a ajudam em sua peregrinação terrestre» (CIC 352).A ajuda dos Santos Anjos e a união dos homens com eles permitem a estes viver melhor a fé e também testemunhá-la com mais força e convicção.
 
Os Santos Anjos, com efeito, contemplam continuamente a face de Deus (cf. Mt 18,10) e vivem em constante adoração. De modo particularmente eficaz podem, por conseguinte, iluminar os fiéis que se abrem conscientemente à sua ação, sendo estes fiéis ajudados por eles a contemplar na fé os mistérios divinos: Deus mesmo e as suas obras (theologia e oikonomia) (cf. CIC 236), a crescer no conhecimento e no amor de Deus, a permanecer na Sua presença e a realizar uma adoração particularmente reverente e amorosa, dedicando-se à maior glorificação de Deus.
 

domingo, 4 de janeiro de 2015

Epifania do Senhor



Hoje celebramos a festa da Epifania do Senhor; Epifania é uma palavra de origem grega que significa “manifestação”. O menino-Deus que se manifesta a toda a humanidade representada no Evangelho de hoje nas pessoas dos magos que vieram do Oriente seguindo a estrela guia (cf. Mt 2,1- 12).
 
Chamo a sua atenção no evangelho, entre tantas coisas, para duas em especial: os presentes e a estrela.
Os magos não compareceram diante do menino Jesus em Belém de mãos vazias, trouxeram ouro, incenso e mirra reconhecendo também para todo mundo a REALEZA, A DIVINDADE E A HUMANIDADE do filho de Deus; os magos, que eram pagãos souberam entender os sinais e a grandeza do acontecimento e levaram presentes e nós o que levamos para Jesus?
 
Com nosso Santo Anjo da Guarda, rogamos a DEUS para ter a sabedoria de entender e amar, amar e entregar, amar e ser o que DEUS quer que sejamos.

sábado, 3 de janeiro de 2015

festa do Santíssimo Nome de Jesus

Depois da Oitava de Natal, a Igreja celebra a importante festa do Santíssimo Nome de Jesus.
 
Sabemos que segundo a Lei de Moisés, todo menino era circuncidado no oitavo dia e era o pai quem lhe dava o nome. São José teve a honra de ser encarregado por Deus para dar o nome ao divino Menino. O arcanjo Gabriel disse à Virgem Maria: “Eis que conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus” (Lc 1, 30-31).
 
E depois o mesmo Arcanjo o confirma em sonho a José: “Ela dará à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo de seus pecados” (Mt 1, 20-21). “Completados que foram os oito dias para ser circuncidado o menino, foi-lhe posto o Nome de Jesus” (Lc 2, 21).
Assim, o Santíssimo Nome de Jesus foi dado pelo céu; por isso tem poder.
 
Note que São Gabriel deixou claro a José a razão deste nome: “porque ele salvará o seu povo de seus pecados”. A palavra Jesus em Hebraico quer dizer “Deus Salva” ou Salvador. Então, pronunciar o nome de Jesus com fé, é toma-lo como divino salvador.
 
É no Nome de Jesus que os pecados são perdoados. “O Filho do Homem tem poder de perdoar pecados na terra” (Mc 2, 10). Ele pode dizer ao pecador: “Teus pecados estão perdoados” (Mc 2,5). E ele transmite esse poder aos homens – os Apóstolos – (Jo 20, 21-23) para que o exerçam em seu Nome.