Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

História do Santo Anjo


SANTOS ANJOS DO SENHOR, SALVAI O MEU CASAMENTO!


Dona Maria do Carmo, casada a doze anos, vivia uma vida feliz até o dia em que seu marido lhe disse estar se relacionando com uma outra pessoa, por sinal casada. Ela nos narra:
"Ante a decepção e o susto, preferi guardar silêncio; acreditando ser possível, pela oração, salvar meu casamento, pedi a Nossa Senhora a graça de silenciar e permanecer em oração. Assim, comecei naquele mesmo dia a rezar aos Santos Anjos.
Como quase sempre estava sozinha em casa, passava os dias rezando: "Santos Anjos do Senhor, salvai o meu casamento!"
Dois meses e meio se passaram, quando, uma noite, senti necessidade de intensificar a oração; estava convicta de que o milagre iria acontecer naquela noite. Uma hora da madrugada, ainda estava rezando quando meu marido entrou e foi logo dizendo: "você estava rezando por mim, eu sei; você salvou a minha vida!"
E passou a relatar-lhe o acontecido: ele estava num bar, junto ao balcão, bebendo, enquanto esperava a outra. Mas, quem chegou no carro dela foi o marido; empunhando um revólver, entrou correndo no bar e, à distância de um metro, mais ou menos, apontou o revolver para o tórax dele, lado esquerdo, altura do coração, disparou a arma e saiu correndo. A bala, entretanto, desviou para a direita, rente ao chão e perfurou a base de um portãozinho de madeira; ninguém foi ferido."
Enfim, o milagre aconteceu: o casal se reconciliou e o marido passou a acompanhar Dona Maria do Carmo na freqüência à Igreja, na prática fervorosa da religião.

Fonte: Obra dos Santos Anjos.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

DIRETÓRIO SOBRE PIEDADE POPULAR E LITURGIA


[Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, 17 de dezembro de 2001]


212. Enfim, é preciso insistir que a meta última da veneração dos Santos é a glória de Deus e a santificação do homem mediante uma vida plenamente conforme à vontade divina e à imitação das virtudes daqueles que foram eminentes discípulos do Senhor.
Por isso, na catequese e em outros momentos da transmissão da doutrina se deverá ensinar aos fiéis que: a nossa relação com os Santos deve ser concebida à luz da fé, não deve "esvaziar, mas, pelo contrário, manter e até desenvolver o culto de adoração devido unicamente a Deus Pai, por Cristo, no Espírito Santo"; "o verdadeiro culto aos Santos não consiste na multiplicação dos atos exteriores, mas na intensidade do amor ativo", que se traduz em empenho de vida crista [Cf. LG, n. 51].

Os Santos Anjos
213. Através da clara e sóbria linguagem da catequese, a Igreja ensina que "a existência de seres espirituais, não corporais, que a Sagrada Escritura chama habitualmente de Anjos, é uma verdade de fé. O testemunho da Escritura a respeito é tão claro quanto a unanimidade da Tradição" [CICat 328].
Segundo a Escritura, os Anjos são mensageiros de Deus, "heróis fortes que executam suas ordens, obedecendo sua palavra" (Sl 103,20), colocados a serviço do seu desígnio salvífico, "enviados a serviço daqueles que deverão herdar a salvação" (Hb 1,14).

214. Os fiéis não ignoram os numerosos episódios da Antiga e da Nova Aliança, nos quais os santos Anjos intervêm. Sabem que os Anjos guardam as portas do paraíso terrestre (cf. Gn 3,24), salvam Agar e seu filho Ismael (cf. Gn 21,17), seguram a mão de Abraão que está pronta para sacrificar o filho Isaac (cf. Gn 22,11), anunciam nascimentos prodigiosos (cf. Jz 13,3-7), guardam os passos do justo (cf. Sl 91,11), louvam incessantemente o Senhor (cf. Is 6,I-4) e apresentam a Deus as orações dos Santos (cf. Ap 8,3-4). Lembram-se também da intervenção de um Anjo em favor do profeta Elias, fugitivo e extenuado (cf. 1Rs 19,4-8), de Azarias e dos seus companheiros jogados na fornalha (cf. Dn 3,49-50), de Daniel preso na cova dos leões (cf. Dn 6,23); para eles é familiar a história de Tobias, na qual Rafael, "um dos sete anjos que assistem diante da claridade do Senhor e entram em sua presença" (cf. Tb 12,15), realiza vários serviços em favor de Tobit, do seu filho Tobias e de Sara, a mulher deste.
Os fiéis também sabem que não são poucos os episódios da vida de Jesus nos quais os Anjos exercem uma função especial: o Anjo Gabriel anuncia a Maria que conceberá e dará à luz o Filho do Altíssimo (cf. Lc 1,26-38) e, de modo parecido, um Anjo revela a José a origem sobrenatural da maternidade da Virgem (cf. Mt 1,18-25); os Anjos levam aos pastores de Belém a alegre notícia do nascimento do Salvador (cf. Lc 2,8-14); o "Anjo do Senhor" protege a vida do Menino Jesus ameaçada por Herodes (cf. Mt 2,13-20); os Anjos servem a Jesus no deserto (cf. Mt 4,11) e o confortam na agonia (cf. Lc 22,43), anunciam às mulheres que se dirigiram ao túmulo de Cristo que ele "ressuscitou" (cf. Mc 16,1-8) e intervêm também na ascensão, para revelar aos discípulos o sentido dela e para anunciar que "Jesus [...] virá assim, do mesmo modo como o vistes partir para o céu" (At 1,11).
Os fiéis reconhecem a importância da advertência de Jesus para não desprezar um só dos pequeninos que crêem nele, "os seus anjos, no céu, contemplam sem cessar a face do meu Pai que está nos céus" (Mt 18,10), e da consoladora palavra segundo a qual "haverá alegria entre os Anjos de Deus por um só pecador que se converte" (Lc 15,10). Enfim, eles sabem que "quando o Filho do Homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, ele se assentará em seu trono glorioso" (Mt 25,31) para julgar os vivos e os mortos e dar cumprimento à história.

215. A Igreja, que em seus primórdios foi guardada e defendida pelo ministério dos Anjos (cf. At 5,17-20; 12,6-11) e que constantemente experimenta a sua "ajuda misteriosa e poderosa" [CICat., 334], venera esses espíritos celestes e, confiante, solicita a intercessão dos mesmos.
Durante o Ano litúrgico, a Igreja comemora a participação dos Anjos nos eventos da salvação [Assim, por exemplo, na própria solenidade máxima, a Páscoa, e nas solenidades da Anunciação (25 de março), do Natal (25 de dezembro), da Ascensão, da Imaculada Conceição (8 de dezembro), da Assunção (15 de agosto) e de Todos os Santos (12 de novembro)], e celebra a memória deles em alguns dias particulares: em 29 de setembro a dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael; em 2 de outubro a dos Anjos da Guarda; a eles dedica uma Missa votiva, cujo prefácio proclama que "a glória de Deus resplandece nos Anjos" [MISSAL ROMANO, Prefácio dos Anjos]; na celebração dos divinos mistérios se associa ao canto dos Anjos para proclamar a glória do Deus três vezes santo (cf. Is 6,3) [Cf. MISSAL ROMANO,Oração Eucarística, Santo] e invoca a assistência deles para que a oferta eucarística "seja levada ao altar do céu, diante da [...] majestade divina" [MISSAL ROMANO, Oração Eucarística I, Nós vos suplicamos]; na presença deles celebra o oficio de louvor (cf. Sl 137,I) [S. BENEDITO, Regula, 19,5: CSEL 75, Vindobonae, 1960, p. 75]; confia ao ministério dos Anjos as orações dos fiéis (cf. Ap 5,8; 8,3), a dor dos penitentes [Cf. RITUAL ROMANO, Ritual da Penitência, São Paulo, Ave Maria, 1999, 54], a defesa dos inocentes contra os assaltos do Maligno [Cf. LITURGIA DAS HORAS, 2 de outubro, memória dos Santos Anjos da Guarda, Vésperas, Hino "Aos anjos cantemos, que guardem a todos"]; implora a Deus para que envie, no final do dia, os seus Anjos a fim de guardar na paz os que oram [Cf. LITURGIA DAS HORAS, Completas depois das II Vésperas dos Domingos e Solenidades, Oração "Visitai, Senhor, esta casa"]; ora para que os espíritos celestes venham socorrer os agonizantes [Cf. RITUAL ROMANO, Ritual da unção dos enfermos e sua assistência pastoral, cit., 147] e, no rito das exéquias, suplica para que os Anjos acompanhem até o paraíso a alma do defunto [Cf. RITUAL ROMANO, Ritual de Exéquias, São Paulo, Paulinas, 1971, 50] e guardem o seu sepulcro.

216. Ao longo dos séculos, os fiéis traduziram em expressões de piedade as convicções da fé a respeito do ministério dos Anjos: os assumiram como patronos de cidades e protetores de corporações; em honra deles edificaram famosos santuários, como Mont Saint-Michel na Normandia, san Michele della Chiusa no Piemonte e san Michele al Gargano na Puglia, e estabeleceram dias festivos; compuseram hinos e práticas de piedade.
De modo particular, a piedade popular desenvolveu a devoção ao Anjo da Guarda. São Basílio Magno (1379) já ensinava que "todo fiel tem ao seu lado um Anjo como protetor e pastor, a fim de conduzi-lo à vida" [S. BASÍLIO DE CESARÉIA, Adversus Eunomium, III, 1: PG 29, 656]. Essa antiga doutrina foi pouco a pouco se consolidando em seus fundamentos bíblicos e patrísticos, e deu origem a várias expressões de piedade, até encontrar em são Bernardo de Claraval († 1153) um grande mestre e um apóstolo insigne da devoção aos Anjos da Guarda. Para ele, esses Anjos são demonstração de "que o céu não descuida de nada que possa ser de ajuda" e, por isso, coloca "ao nosso lado esses espíritos celestes a fim de que nos protejam, nos instruam e nos guiem" [S. BERNARDO DE CLARAVAL,Sermo XII in Psalmum "Qui habitat", 3, In: Sancti Bernardi Opera. Romae, Editiones Cistercienses, IV, 1966, p. 459].
A devoção aos Anjos da Guarda dá também lugar a um estilo de vida caracterizado por:
• devota gratidão a Deus, que colocou a serviço dos homens espíritos de tão grande santidade e dignidade;
• atitude de compostura e piedade, provocada pela consciência de estar constantemente na presença dos santos Anjos;
• serena confiança no enfrentamento de situações até difíceis, porque o Senhor guia e assiste o fiel no caminho da justiça até mesmo através do ministério dos Anjos.
Entre as orações ao Anjo da Guarda é especialmente difundida o Anjo de Deus [Cf. EI,Normae e concessiones, 18, p. 65], que em muitas famílias faz parte das orações da manhã e da noite e que, em muitos lugares, acompanha também a recitação do Anjo do Senhor.

217. A piedade popular para com os santos Anjos, legítima e salutar, pode entretanto dar lugar a desvios, como, por exemplo:
• se, como às vezes acontece, surge no espírito dos fiéis uma concepção errônea segundo a qual eles consideram o mundo e a vida submetidos a tensões demiúrgicas, à luta incessante entre espíritos bons e espíritos maus, entre os Anjos e os demônios, na qual o homem é envolvido por poderes a ele superiores, diante dos quais não pode fazer nada; essa concepção, ao mesmo tempo que desresponsabiliza o fiel, não corresponde à genuína visão evangélica da luta contra o Maligno, que requer do discípulo de Cristo empenho moral, opção pelo Evangelho, humildade e oração;
• se as vicissitudes cotidianas da vida são lidas de modo esquemático e simplista, quase infantil, atribuindo ao Maligno até as mínimas contradições, e, ao contrário, ao Anjo da Guarda sucessos e realizações, que pouco ou nada têm a ver com o progresso do homem na sua caminhada rumo à consecução da maturidade de Cristo. Deve-se reprovar também o uso de dar aos Anjos nomes particulares, exceto Miguel, Gabriel e Rafael, que estão contidos na Escritura.

© Libreria Editrice Vaticana

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Passio Domini

Na Quinta-feira Santa, Nosso Senhor foi até o Jardim das Oliveiras para rezar, começando assim a Sua Divina Paixão. Ali Ele rezou: "Pai, se for da Vossa vontade, afastai de mim este cálice: no entanto, não se faça a minha vontade, mas a Vossa". Então um Anjo descendo do céu apareceu-Lhe para O fortalecer. Do mesmo modo como o Anjo fortaleceu e consolou Nosso Senhor, o Eterno Sumo Sacerdote, assim nos reunimos na presença de Jesus na Eucaristia para fortalecer espiritualmente e nutrir os nosso sacerdotes, através da intercessão dos santos Anjos. Jesus quis que o Seu sacerdócio permanecesse na Igreja, de uma forma visível através dos sacerdotes.
O "mistério pascal" de Jesus Cristo está no centro da nossa fé cristã. A Páscoa de Jesus realizada através de seu sofrimento, morte e ressurreição começando cada quinta-feira à noite e prosseguindo até sexta-feira à tarde, mantem um certo grau de recolhimento e de reflexão sobre a Paixão do Senhor. Devem passar uma hora na quinta-feira à noite e outra hora na sexta-feira à tarde (de acordo com as possibilidades do próprio estado de vida) dedicando-se à oração e adoração, em união com Jesus Cristo assim como Ele passou através da agonia no Jardim das Oliveiras na Quinta-feira Santa, e morreu na cruz na Sexta-feira Santa.

Assim como o anjo veio fortalecer a Cristo no Jardim do Getsêmani, assim também invocamos os santos Anjos para fortalecer-nos no carregar as nossas próprias cruzes. No entanto, a observância da Passio Domini é acima de tudo uma oração de intercessão para os outros. Durante o tempo que acompanhamos Cristo na sua paixão, oferecemos as gotas do Preciosíssimo Sangue de Jesus que Ele derramou por amor a nós e para a salvação do mundo. Nós oferecemos o Seu sangue, de modo especial para os sacerdotes e para os religiosos, para que eles sejam fiéis no cumprimento de suas vocações. Também intercedemos por aqueles sacerdotes que abandonaram a sua vocação para que eles possam se reconciliar com Cristo e a Sua Igreja.

Nosso Senhor pede que vigiemos com Ele uma hora. Qualquer pessoa seguindo este apelo do Senhor e permitindo ser conduzida pelo seu santo Anjo, aprende, antes de mais, a força do silêncio; silêncio que é algo mais do que "Não falar". É o silêncio dos lábios e do coração, do amor à tranqüilidade e ao recolhimento; o silêncio que tem a reverência como o seu primeiro fruto. Ele também eleva o homem para o mundo das verdades da fé. Ele é o caminho para a purificação e integridade, uma arma contra toda a dissipação, distração e superficialidade.

Existem três fases na vida ascética que consideramos ser a Lei dos santos Anjos: silenciar - escutar- obedecer. Estas três práticas, a seu tempo, deverão dar frutos e tornarem-se, por assim dizer, os atributos característicos de quem é guiado pelos santos Anjos.

Ouvimos Nosso Senhor falando aos nossos corações, e imploramos ao Pai Celestial de permitir que uma gota do Preciosíssimo Sangue de Jesus, derramado no Jardim de Getsêmani, possa cair sobre aqueles por quem oramos. No mais profundo desespero de Nosso Senhor, Ele encontrou os Apóstolos dormindo e lhes perguntou: "Então não pudestes vigiar uma hora comigo?". Queremos passar estas três horas com nosso Salvador, para que neste tempo Ele não sofra sozinho.

Venha, então, convidamos você, aonde estiver, para se reunir conosco e com os santos Anjos neste trabalho abençoado que fazemos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amen

Dica de Livro



Este livro revela um segredo duradoura da Igreja: a chave dos cristãos para entender os mistérios da missa. Isso é hoje, mais do que nunca, necessário, porque os cristãos que ocupam os bancos das igrejas os domingos podem perder de vista, por excesso de familiaridade, o fato de que , em cada missa, celebramos na terra a misteriosa participação na liturgia celeste. 
A chave do autor para interpretar a missa é o Apocalipse e sua chave para interpretar o Apocalipse é a missa. Em seu texto, o autor, enfrenta a natureza do sacrifício, a fundamentação Bíblica da missa, a continuidade da tradição católica e a centralidade da expressão "Cordeiro de Deus", que significa exatamente o próprio Cristo.

Buscar uma relação íntima com os Santos Anjos

Conviver com os Santos Anjos, neste post queremos falar um pouco sobre a importância de uma convivência familiar com o Santo Anjo. Que o Santo Anjo seja para cada um de nós a pessoa mais próxima, ele que usa de tamanha misericórdia conosco, merece um lugar especial em nossa vida. Ele quer iluminar a nossa escuridão, esclarecer as nossas dúvidas, juntar-se a nós quando a cruz nos pesa muito e a cumprir conosco a nossa missão.
Que grande mistério nossa vida terrena, é missão do nosso Anjo da Guarda! Portanto, seguremos a sua mão, acolhamos a sua luz, mas imitemos também este cuidado e bondade que ele tem para conosco.

A senhora Gabriele Bitterlich, carinhosamente chamada e conhecida como Mãe Gabriele, é exemplo de uma vida em íntima convivência com o Santo Anjo. Mãe e esposa, ela esteve na origem da Obra dos Santos Anjos em Innsbruck, Áustria em 1949.

Desenvolveu-se nela uma consciência pessoal sempre mais clara de que o Senhor Jesus Cristo queria que os fiéis venerassem e invocassem mais os santos anjos e se abrissem à sua ajuda poderosa. Como autêntica cristã, porém, sempre professou a sua submissão em tudo à autoridade da Igreja. Naqueles anos, esta autoridade era o bispo de Innsbruck, Dom Paulus Rusch, com o qual sempre mantinha o contato. A partir de 1961, a Obra do Santos Anjos estendeu-se a diversos países do mundo. 

Uma das características da Mãe Gabriele foi a sua relação familiar com os Santos Anjos, a vida da Mãe Gabriele é impensável sem levar em conta seu contato com os Santos Anjos. Quando criança,  ela viu seu Anjo da Guarda, que lhe socorreu e lhe deu muitas instruções. Sua relação privilegiada com o Anjo se tornou muito profunda e permaneceu pura e simples. E é esta a sua missão para este tempo: apontar para o mundo dos Anjos, nos convidando a olhar, a ter consciência, a nos abrir para estes nossos irmãos celestes.
Não se trata apenas de uma devoção: fazer umas orações aos Anjos e nada mais. Tampouco não é a finalidade de nossa relação com os Anjos de invocá-los na hora do perigo ou da necessidade. A Mãe Gabriele nos ensina mais: convivência consciente com os Santo Anjos!

Talvez alguns pensem: "Isto não é possível, pois não vejo os Anjos. Como poderia, então conviver com eles?" Aí a Mãe Gabriele nos diria que não é suficiente ver um Anjo, nós devemos experimentá-lo. Experimentar o Anjo não é difícil  pois ele está bem próximo, ao nosso lado, só precisamos estar atentos para escutar em nosso coração o seu chamado. Devemos ficar perspicazes, para captar diariamente o seu cuidado e seu socorro veloz como um relâmpago, ao redor de nós. Se nos lembrarmos dele cada dia, cada hora, mais facilmente ele entrará inconscientemente em nossa imaginação, e depois de um tempo será tão natural pensarmos nele que pensar em nossa vida sem ele será impossível.

O Santo anjo nos ajuda sobretudo através da iluminação, isto é, através de um grande fortalecimento de nossa força de conhecimento, através da luz do seu conhecimento que ele nos transmite. Por isso, a Mãe Gabriele nos recomenda pedirmos muitas vezes ao nosso Anjo:

"Santo Irmão, transmita-me, por causa de Maria, tua Rainha, a tua luz, a fim de que aprenda o conhecimento claro e a discerni-lo nitidamente! Amém".



Fonte: Carta Circular da Obra dos Santos Anjos, dezembro de 2012.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Fidelidade


A FIDELIDADE APERFEIÇOA TODAS AS VIRTUDES



Diz-se que a prova que no início dividiu os Anjos, demonstrou a sua fidelidade a Deus. Juntamente com São Miguel, "Quem é como Deus!", os Anjos fiéis escolheram a fidelidade, enquanto os anjos caídos se lançaram para longe de Deus, tornando-se infiéis. Por isso se diz que a fidelidade é a primeira característica dos Santos Anjos.
Aponta-se muitas vezes a humildade como fundamento da vida espiritual. Porém, pensando bem, concluí-se que a tarefa da humildade é antes por este fundamento, visto que a humildade tira os últimos vestígios do amor próprio, de modo que a vida espiritual possa assentar sobre a rocha da fé; mas é a fidelidade que a firmará. De fato, a raiz da palavra fidelidade é 'fides', palavra latina que significa fé. Sem fidelidade será impossível alcançar uma santidade perfeita.



FIDELIDADE E INTEGRIDADE


Na sua relação com a verdade, a fidelidade tem algo de 'divino'. A integridade faz-nos reconhecer a verdade dos seres existentes. Pelo livre 'sim' da fidelidade nós temos de cumprir o que dissemos, e deste modo faz-se ou existe algo que é novo e bom. Neste sentido, a fidelidade é quase 'criativa': pelo menos podemos dizer que pela fidelidade chegaremos à perfeição. Além disso, é pela fidelidade que colaboramos mais efetivamente com os Santos Anjos. O objectivo do seu ministério é ajudar-nos a ser mais semelhantes a Deus no amor e nas virtudes. Quanto mais fielmente acatarmos as suas inspirações e advertências, tanto mais fiéis seremos nas provações e tanto mais depressa seremos transformados em imagens de Cristo (cf. 2Cor 3,18).
Pelo contrário, se negarmos a lei natural ou faltarmos às nossas promessas, tornar-nos-emos infiéis. É a razão por que os anjos caídos foram acusados de infidelidade para com Deus. No momento da sua criação, todos os espíritos criados estavam voltados para Deus com amor e obrigaram-se, à luz da sua razão natural, a servi-Lo. (Summa Teológica I, 63,5,c). Mas quando depois, mais iluminados pela fé, reconheceram o reino sobrenatural de Deus e compreenderam qual seria o lugar que nele teriam, o diabo e os seus anjos revoltaram-se. São Tomás de Aquino diz assim: "o diabo, cheio de ódio, pecou pela aversão contra as ordens divinas" (De Malo 16,3,1m, 10m,15m).
Mas o homem justo e fiel ama a lei divina: "Quanto amo, Senhor, a Vossa lei" (Sl 119,97); "As obras das Suas mãos são retas e justas, todos os Seus preceitos são imutáveis” (Sl 111,7). Só com a graça de Deus permaneceremos fiéis. Jesus assegura-nos: "Sem Mim nada podeis fazer!" (Jo 15,5). Como também São Paulo quando afirma: "Tudo posso n’Aquele que me fortalece" (Fil 4,13). E ainda: "Deus é fiel, e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças" (1Cor 10,13); "Ele vos dará firmeza e vos guardará do mal" (2Tes 3,3). "Com Suas penas te há de proteger, debaixo das Suas asas encontrarás abrigo" (Sl 91,4). Na verdade, Aquele que nos chama é fiel, Ele nos santificará inteiramente – espírito, alma e corpo – para que todo o vosso ser se conserve irrepreensível para a vinda de Cristo (cf. 1Tes 5,24).

Fonte: Obra dos Santos Anjos

História do Anjo - Testemunho


FIDELIDADE QUE SALVA - UMA HISTÓRIA

Caiu a noite depois de um dia cheio de trabalho, e o Padre Eugênio, capelão numa universidade americana, ia arrumando a sua secretaria, à espera da última visita. Henrique, um dos estudantes, devia vir às 19:00 horas e o Padre pensava que depois os dois ainda poderiam ir ver o jogo de futebol, às 20:00 horas no estádio da universidade.
O Henrique passou por um período difícil, mas mesmo que a conversa demorasse mais tempo, pelo menos poderiam ainda ver a parte mais interessante do jogo. O Padre não contou com um atraso. Dezenove horas, e o Henrique não chegava! Vinte horas, nada, e o Padre Eugênio ouvia no estádio começar o jogo com os gritos de entusiasmo dos espectadores. Não estava nada contente. Veio-lhe o pensamento de que tinha bem direito de esquecer o Henrique e ir ao estádio. Mas houve qualquer coisa que lhe dizia para esperar. Talvez chegue ainda.
Depois de mais vinte minutos de inquietação nervosa, o Padre levantou-se, foi buscar o casaco e o chapéu, murmurando: "Para quê ficar aqui à espera todo o tempo? O Henrique deve ter-se esquecido deste encontro. Provavelmente está já na bancada a ver o jogo!" Mas de novo uma voz interior o impediu de sair. Tirou o casaco, lançou-o para uma cadeira e dizia consigo mesmo: "Talvez esteja a chegar".
Do estádio chegavam-lhe aos ouvidos os gritos entusiásticos do público, anunciando que ia começar a segunda parte do jogo, o que ainda mais enervou o bom Padre, que sentia crescer em si uma certa indignação. Que irresponsabilidade e que falta de consideração a deste estudante! Então, pegou de novo no casaco e o cachecol, mas não foi capaz de atravessar a porta, nem sabia explicar a sua forte resistência interior. Não teve outro remédio senão esperar pelo Henrique. Assim ficou, mas sem entender o que se passava nele e donde lhe vinha esta indecisão. "Alguma coisa de anormal se passa comigo", disse a si próprio.
Pouco depois alguém bateu à porta. O Padre Eugênio abriu e lá estava o Henrique com uma pistola na mão e visivelmente perturbado. Antes do Padre poder abrir a boca, o Henrique balbuciou: "Porque é que o Sr. Padre ficou aqui? Porque não foi ao estádio ver o futebol? Porque não me abandonou como fazem todos os outros?" – "Eu não pude ir, porque todas às vezes que o queria fazer, alguma coisa me impedia, como se alguém me dissesse: 'Fica, pois o Henrique ainda vai chegar'! Por isso esperei", respondeu o Padre. "Entra, Henrique, para falarmos e diz-me que problema tens."
O Henrique entrou e deu a pistola ao Padre. A seguir tiveram uma boa conversa, que se prolongou até muito depois de terminado o jogo de futebol. Para o Henrique foi o início da sua cura. Mas quase teria sido o seu fim, pois tinha decidido ver na ausência ou presença do Padre o sinal para se suicidar ou não, o sinal de que a sua vida não tinha ou tinha valor para alguém.
Mais tarde, o Padre Eugênio confessou que naquele tempo não entendera o que se tinha passado, mas que depois se dera conta de que o seu Anjo, sabendo qual a consequência trágica da sua ausência, o tinha advertido para que não se afastasse.

 "Ó meu Deus, como Vos estou grato por ter sido fiel àquela inspiração da graça!"

Fonte: cumsanctisangelis.blogspot.com

domingo, 20 de janeiro de 2013

20 de Janeiro - Dia de São Sebastião



O santo de hoje nasceu em Narbone; os pais eram oriundos de Milão, na Itália, do século terceiro. São Sebastião, desde cedo, foi muito generoso e dado ao serviço. Recebeu a graça do santo batismo e zelou por ele em relação à sua vida e à dos irmãos.

Ao entrar para o serviço no Império como soldado, tinha muita saúde no físico, na mente e, principalmente, na alma. Não demorou muito, tornou-se o primeiro capitão da guarda do Império. Esse grande homem de Deus ficou conhecido por muitos cristãos, pois, sem que as autoridades soubessem – nesse tempo, no Império de Diocleciano, a Igreja e os cristãos eram duramente perseguidos –, porque o imperador adorava os deuses. Enquanto os cristãos não adoravam as coisas, mas as três Pessoas da Santíssima Trindade.

Esse mistério o levava a consolar os cristãos que eram presos de maneira secreta, mas muito sábia; uma evangelização eficaz pelo testemunho que não podia ser explícito.

São Sebastião tornou-se defensor da Igreja como soldado, como capitão e também como apóstolo dos confessores, daqueles que eram presos. Também foi apóstolo dos mártires, os que confessavam Jesus em todas as situações, renunciando à própria vida. O coração de São Sebastião tinha esse desejo: tornar-se mártir. E um apóstata denunciou-o para o Império e lá estava ele, diante do imperador, que estava muito decepcionado com ele por se sentir traído. Mas esse santo deixou claro, com muita sabedoria, auxiliado pelo Espírito Santo, que o melhor que ele fazia para o Império era esse serviço; denunciando o paganismo e a injustiça.

São Sebastião, defensor da verdade no amor apaixonado a Deus. O imperador, com o coração fechado, mandou prendê-lo num tronco e muitas flechadas sobre ele foram lançadas até o ponto de pensarem que estava morto. Mas uma mulher, esposa de um mártir, o conhecia, aproximou-se dele e percebeu que ele estava ainda vivo por graça. Ela cuidou das feridas dele. Ao recobrar sua saúde depois de um tempo, apresentou-se novamente para o imperador, pois queria o seu bem e o bem de todo o Império. Evangelizou, testemunhou, mas, dessa vez, no ano de 288 foi duramente martirizado.

São Sebastião, rogai por nós!

sábado, 19 de janeiro de 2013

Oração ao Santo Anjo da Guarda


Santo Anjo da Guarda,
cuida da minha alma e do meu corpo.
Ilumina a minha mente e o meu coração.
Ajuda-me em minhas orações,
para que não ceda as distrações,
mas dá-me a melhor atenção.
Ajude-me com seus conselhos,
porque sabe o que é melhor para mim e o faz generosamente.
Livra-me das ciladas do inimigo infernal,
e defenda-me das tentações.
Suplica por minha frieza a adoração do Senhor, 
não espere por minha custódia 
até trazer-me ao Paraíso, 
onde, juntos, vamos louvar ao Senhor Bom por toda a eternidade. Amém.



sábado, 12 de janeiro de 2013

São João Batista



Este Santo bíblico, que parece ter gozado uma grande familiaridade com os Anjos, São João Batista.  Há ícones na Igreja oriental, nos quais este grande Santo é representado com asas de Anjo. E isto remota ao testemunho do próprio Senhor a respeito do seu precursor: "Que foste ver no deserto?... um profeta? Sim, digo-vos Eu, mais que um profeta. É dele que está escrito: Eis que eu envio Meu Anjo diante de ti para te preparar o caminho"(Mt 11, 7-9).
Neste texto, Jesus refere-Se a profecia de Malaquias: " vou mandar o Meu Anjo para preparar o Meu caminho"(Ml 3,1) e declara que em João Batista se cumpriu o que fora predito pelo profeta. Na maioria das traduções, a palavra "Anjo" é traduzida como "mensageiro", e olhando para o grego, a palavra "angelos" significa genericamente "mensageiro", mas quando indica um mensageiro divino, se trata de "Anjo". A tradução  por "Anjo", neste contexto, porém, mantendo um certo equivoco, dá mais sentido, visto que o Senhor, explica aos Seus ouvintes que em João Batista, eles viram mais que um profeta. Pois os antigos profetas receberam as suas visões por meio dos Anjos, enquanto João Batista viu o Senhor, o Deus encarnado, com seus próprios olhos. Assim, em comparação com os demais profetas, parece como um Anjo, que vê Deus face a face. Por isso, convém  traduzir esta palavra do Senhor sobre João Batista como "Anjo": "Eis que envio Meu Anjo diante de Ti".
Cumpriu a missão de Anjo
Porém, para nós é claro que João Batista não era um Anjo. Os Evangelhos narram até vários detalhes sobre seu nascimento (Lc 1, 5-25; 57-80). Por isso, sabemos que ele foi um homem como nós, "de carne e osso". Portanto, quando Jesus fala: "É dele que está escrito: "Eis que Eu envio  Meu Anjo diante de ti... " isto quer dizer que João Batista cumpriu a missão que fora predita como a tarefa de um Anjo.
E sabendo que ele foi purificado do pecado  original já no seio de sua mãe, de modo que São Gabriel podia dizer que "desde o ventre de sua mãe será cheio do Espírito Santo" e que por isso "estremeceu de alegria no seio de sua mãe" quando Maria visitou Isabel (Lc 1, 15. 44), podemos dizer que ele tinha algo angelical, uma pureza sem igual, uma santidade singular. E com certeza em seu ministério, os Anjos lhe ajudaram de maneira extraordinária, já que se alegram com a nossa penitência (Lc 15, 10) e João Batista era um homem de penitência austera. Assim, ele chegou a uma grande comunhão com os Santos Anjos.
O Batismo de Jesus
“João havia declarado: vi o Espírito descer do céu em forma de pomba e repousar sobre Ele. Eu não o conhecia, mas aquele que me mandou batizar em água disse-me: Sobre quem vires descer e repousar o Espírito, este é quem batiza no Espírito Santo. Eu o vi e dou testemunho de que ele é o filho de Deus.” Jô 1, 32- 34.

"A vida pública de Jesus tem início com seu Batismo por João, no rio Jordão… Uma multidão de pecadores, de publicamos e soldados Fariseus e saduceus e prostitutas vem fazer-se batizar por ele. Jesus aparece, João Batista hesita, mas Jesus insiste. E ELE recebe o Batismo. Então, o Espírito Santo, sob a forma de pomba, vem sobre Jesus e a voz do céu proclama: Este é o meu filho bem amado. É a manifestação (EPIFANIA) de Jesus como Messias de Israel e filho de Deus.” CIC 535
A voz vinda do céu é a voz do Pai proclamando a missão de Cristo.
Rei e Servo, o rei-servidor.
A festa do batismo do Senhor é também o momento de recordar nosso próprio Batismo, pois nele somos adotados como filhos de Deus e recebemos o Espírito para realizar nossa missão".

Fonte: Carta Circular - Obra dos Santos Anjos Dezembro/2012.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Obra dos Santos Anjos



- Calendário de Retiros e Recolhimentos -
                                                       - 2013

sábado, 18 e 19 de janeiro
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro de jovens
domingo, 20 de janeiro
» 17:30
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro de jovens
11:00
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro das Famílias
segunda-feira, 21 de janeiro
12:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro para Sacerdotes
terça-feira, 22 de janeiro
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro para Sacerdotes
quarta-feira, 23 de janeiro
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro para Sacerdotes
quinta-feira, 24 de janeiro
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro para Sacerdotes
20:00
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
sexta-feira, 25 de janeiro
» 19:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro para Sacerdotes
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
sábado, 26 de janeiro
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
domingo, 27 de janeiro
» 17:30
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
sexta-feira, 1 de fevereiro
20:00
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro Vocacional
sábado, 2 de fevereiro
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro Vocacional
domingo, 3 de fevereiro
» 17:30
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro Vocacional
sábado, 9 de fevereiro
18:00
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro de Carnaval
18:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro de Carnaval
domingo, 10 de fevereiro
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro de Carnaval
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro de Carnaval
segunda-feira, 11 de fevereiro
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro de Carnaval
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro de Carnaval
terça-feira, 12 de fevereiro
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro de Carnaval
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro de Carnaval
quarta-feira, 13 de fevereiro
» 10:00
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro de Carnaval
» 10:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro de Carnaval
domingo, 17 de fevereiro
12:00
 Brasil: Pindamonhangaba - SP: Dia de Recolhimento
domingo, 24 de fevereiro
12:00
 Brasil: Ituiutaba - MG: Dia de Recolhimento
sexta-feira, 1 de março
21:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Encontro de jovens com o Anjo
sábado, 2 de março
 Brasil: Casa de Nazaré: Encontro de jovens com o Anjo
domingo, 3 de março
» 18:30
 Brasil: Casa de Nazaré: Encontro de jovens com o Anjo
domingo, 10 de março
12:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Recolhimento Quaresmal
12:00
 Brasil: Goiânia - GO: Dia de Recolhimento
domingo, 17 de março
12:00
 Brasil: Itajubá - MG: Dia de Recolhimento
12:00
 Brasil: Taguatinga - DF: Dia de Recolhimento
sexta-feira, 22 de março
18:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Formação sobre a Passio Domini
sábado, 23 de março
 Brasil: Casa de Nazaré: Formação sobre a Passio Domini
domingo, 24 de março
» 10:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Formação sobre a Passio Domini
sexta-feira, 5 de abril
22:00
 Brasil: Casa Cura D'Ars - SJC - SP: Retiro
sábado, 6 de abril
 Brasil: Casa Cura D'Ars - SJC - SP: Retiro
domingo, 7 de abril
» 19:30
 Brasil: Casa Cura D'Ars - SJC - SP: Retiro
domingo, 14 de abril
13:00
 Brasil: São Paulo - SP: Dia de Recolhimento
domingo, 21 de abril
13:00
 Brasil: Anápolis - GO: Dia de Recolhimento
13:00
 Brasil: Salvador - BA: Dia de Recolhimento
quinta-feira, 25 de abril
22:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro geral
sexta-feira, 26 de abril
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro geral
22:00
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro Vocacional
sábado, 27 de abril
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro geral
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro Vocacional
13:00
 Brasil: Recife - PE: Dia de Recolhimento
domingo, 28 de abril
» 19:30
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro geral
» 19:30
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro Vocacional
13:00
 Brasil: João Pessoa - PB: Dia de Recolhimento
quarta-feira, 1 de maio de 2013
13:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Recolhimento para Ministros extraordinários da Comunhão
13:00
 Brasil: Natal - RN: Dia de Recolhimento
sexta-feira, 17 de maio de 2013
22:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Seminário sobre a Fé
sábado, 18 de maio de 2013
 Brasil: Casa de Nazaré: Seminário sobre a Fé
domingo, 19 de maio de 2013
» 19:30
 Brasil: Casa de Nazaré: Seminário sobre a Fé
13:00
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro das Famílias
sexta-feira, 24 de maio de 2013
22:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Encontro de jovens com o Anjo
sábado, 25 de maio de 2013
 Brasil: Casa de Nazaré: Encontro de jovens com o Anjo
13:00
 Brasil: Goiânia - GO: Seminário Mariano
domingo, 26 de maio de 2013
» 19:30
 Brasil: Casa de Nazaré: Encontro de jovens com o Anjo
» 21:00
 Brasil: Goiânia - GO: Seminário Mariano
sábado, 15 de junho de 2013
13:00
 Brasil: Varginha - MG: Recolhimento para jovens
domingo, 16 de junho de 2013
13:00
 Brasil: Brasília - DF: Dia de Recolhimento
13:00
 Brasil: Varginha - MG: Recolhimento para adultos
sábado, 22 de junho de 2013
13:00
 Brasil: Campinas - SP: Recolhimento para jovens
domingo, 23 de junho de 2013
13:00
 Brasil: Itatiba - SP: Dia de Recolhimento
sábado, 29 de junho de 2013
13:00
 Brasil: Campos dos Goytacazes - RJ: Recolhimento para jovens
domingo, 30 de junho de 2013
13:00
 Brasil: Campos dos Goytacazes - RJ: Recolhimento para adultos
quinta-feira, 4 de julho de 2013
22:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
sexta-feira, 5 de julho de 2013
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
22:00
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro Vocacional
sábado, 6 de julho de 2013
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro Vocacional
domingo, 7 de julho de 2013
» 19:30
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
» 19:30
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro Vocacional
quinta-feira, 11 de julho de 2013
22:00
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
sexta-feira, 12 de julho de 2013
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
sábado, 13 de julho de 2013
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
domingo, 14 de julho de 2013
» 19:30
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
13:00
 Brasil: Lorena - SP: Dia de Recolhimento
quinta-feira, 18 de julho de 2013
22:00
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
sexta-feira, 19 de julho de 2013
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
sábado, 20 de julho de 2013
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
domingo, 21 de julho de 2013
» 19:30
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
quinta-feira, 25 de julho de 2013
22:00
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
sexta-feira, 26 de julho de 2013
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
sábado, 27 de julho de 2013
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
domingo, 28 de julho de 2013
» 19:30
 Brasil: Anápolis - GO: Retiro Geral
quinta-feira, 15 de agosto de 2013
22:00
 Brasil: Recife - PE: Retiro Geral
sexta-feira, 16 de agosto de 2013
 Brasil: Recife - PE: Retiro Geral
sábado, 17 de agosto de 2013
 Brasil: Recife - PE: Retiro Geral
domingo, 18 de agosto de 2013
» 19:30
 Brasil: Recife - PE: Retiro Geral
quinta-feira, 22 de agosto de 2013
22:00
 Brasil: João Pessoa - PB: Retiro
sexta-feira, 23 de agosto de 2013
 Brasil: João Pessoa - PB: Retiro
sábado, 24 de agosto de 2013
 Brasil: João Pessoa - PB: Retiro
domingo, 25 de agosto de 2013
» 19:30
 Brasil: João Pessoa - PB: Retiro
13:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Dia de Recolhimento
13:00
 Brasil: Samambaia - DF: Dia de Recolhimento
quinta-feira, 29 de agosto de 2013
22:00
 Brasil: Natal - RN: Retiro Geral
sexta-feira, 30 de agosto de 2013
 Brasil: Natal - RN: Retiro Geral
sábado, 31 de agosto de 2013
 Brasil: Natal - RN: Retiro Geral
domingo, 1 de setembro de 2013
» 19:30
 Brasil: Natal - RN: Retiro Geral
quinta-feira, 5 de setembro de 2013
22:00
 Brasil: Salvador - BA: Retiro Geral
sexta-feira, 6 de setembro de 2013
 Brasil: Salvador - BA: Retiro Geral
22:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Encontro de jovens com o Anjo
sábado, 7 de setembro de 2013
 Brasil: Salvador - BA: Retiro Geral
 Brasil: Casa de Nazaré: Encontro de jovens com o Anjo
domingo, 8 de setembro de 2013
» 19:30
 Brasil: Salvador - BA: Retiro Geral
 Brasil: Casa de Nazaré: Encontro de jovens com o Anjo
segunda-feira, 9 de setembro de 2013
» 19:30
 Brasil: Casa de Nazaré: Encontro de jovens com o Anjo
domingo, 15 de setembro de 2013
13:00
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro das Famílias
quinta-feira, 19 de setembro de 2013
22:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
sexta-feira, 20 de setembro de 2013
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
sábado, 21 de setembro de 2013
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
domingo, 22 de setembro de 2013
» 19:30
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
13:00
 Brasil: Goiânia - GO: Dia de Recolhimento
quinta-feira, 26 de setembro de 2013
22:00
 Brasil: Belo Horizonte - MG: Retiro sobre os Anjos
sexta-feira, 27 de setembro de 2013
 Brasil: Belo Horizonte - MG: Retiro sobre os Anjos
sábado, 28 de setembro de 2013
 Brasil: Belo Horizonte - MG: Retiro sobre os Anjos
domingo, 29 de setembro de 2013
» 19:30
 Brasil: Belo Horizonte - MG: Retiro sobre os Anjos
13:00
 Brasil: Anápolis - GO: Recolhimento
sexta-feira, 11 de outubro de 2013
22:00
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro Vocacional
sábado, 12 de outubro de 2013
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro Vocacional
13:00
 Brasil: Itapetininga - SP: Recolhimento para jovens
domingo, 13 de outubro de 2013
» 19:30
 Brasil: Anápolis - GO: Encontro Vocacional
13:00
 Brasil: Itapetininga - SP: Recolhimento para adultos
quinta-feira, 17 de outubro de 2013
22:00
 Brasil: Porto Alegre - RS: Retiro Geral
sexta-feira, 18 de outubro de 2013
 Brasil: Porto Alegre - RS: Retiro Geral
sábado, 19 de outubro de 2013
 Brasil: Porto Alegre - RS: Retiro Geral
13:00
 Brasil: Ituiutaba – MG: Dia de Recolhimento
domingo, 20 de outubro de 2013
» 18:30
 Brasil: Porto Alegre - RS: Retiro Geral
12:00
 Brasil: Itumbiara – GO: Dia de Recolhimento
domingo, 27 de outubro de 2013
11:00
 Brasil: Brasília – DF: Dia de Recolhimento
11:00
 Brasil: S. José dos Campos - SP: Dia de Recolhimento
sexta-feira, 8 de novembro de 2013
20:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Encontro de jovens com o Anjo
sábado, 9 de novembro de 2013
 Brasil: Casa de Nazaré: Encontro de jovens com o Anjo
domingo, 10 de novembro de 2013
» 17:30
 Brasil: Casa de Nazaré: Encontro de jovens com o Anjo
11:00
 Brasil: Goiânia – GO: Dia de Recolhimento
sábado, 23 de novembro de 2013
11:00
 Brasil: Londrina – PR: Recolhimento para jovens
domingo, 24 de novembro de 2013
11:00
 Brasil: Londrina – PR: Recolhimento para adultos
quinta-feira, 5 de dezembro de 2013
20:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
sexta-feira, 6 de dezembro de 2013
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
sábado, 7 de dezembro de 2013
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
domingo, 8 de dezembro de 2013
» 17:30
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
quinta-feira, 12 de dezembro de 2013
20:00
 Brasil: Anápolis – GO: Retiro de jovens
20:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
sexta-feira, 13 de dezembro de 2013
 Brasil: Anápolis – GO: Retiro de jovens
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
sábado, 14 de dezembro de 2013
 Brasil: Anápolis – GO: Retiro de jovens
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
domingo, 15 de dezembro de 2013
» 17:30
 Brasil: Anápolis – GO: Retiro de jovens
» 17:30
 Brasil: Anápolis – GO: Retiro de jovens
» 17:30
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
» 17:30
 Brasil: Casa de Nazaré: Retiro Geral
terça-feira, 31 de dezembro de 2013
20:00
 Brasil: Casa de Nazaré: Vigília de Ano No