Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Buscar uma relação íntima com os Santos Anjos

Conviver com os Santos Anjos, neste post queremos falar um pouco sobre a importância de uma convivência familiar com o Santo Anjo. Que o Santo Anjo seja para cada um de nós a pessoa mais próxima, ele que usa de tamanha misericórdia conosco, merece um lugar especial em nossa vida. Ele quer iluminar a nossa escuridão, esclarecer as nossas dúvidas, juntar-se a nós quando a cruz nos pesa muito e a cumprir conosco a nossa missão.
Que grande mistério nossa vida terrena, é missão do nosso Anjo da Guarda! Portanto, seguremos a sua mão, acolhamos a sua luz, mas imitemos também este cuidado e bondade que ele tem para conosco.

A senhora Gabriele Bitterlich, carinhosamente chamada e conhecida como Mãe Gabriele, é exemplo de uma vida em íntima convivência com o Santo Anjo. Mãe e esposa, ela esteve na origem da Obra dos Santos Anjos em Innsbruck, Áustria em 1949.

Desenvolveu-se nela uma consciência pessoal sempre mais clara de que o Senhor Jesus Cristo queria que os fiéis venerassem e invocassem mais os santos anjos e se abrissem à sua ajuda poderosa. Como autêntica cristã, porém, sempre professou a sua submissão em tudo à autoridade da Igreja. Naqueles anos, esta autoridade era o bispo de Innsbruck, Dom Paulus Rusch, com o qual sempre mantinha o contato. A partir de 1961, a Obra do Santos Anjos estendeu-se a diversos países do mundo. 

Uma das características da Mãe Gabriele foi a sua relação familiar com os Santos Anjos, a vida da Mãe Gabriele é impensável sem levar em conta seu contato com os Santos Anjos. Quando criança,  ela viu seu Anjo da Guarda, que lhe socorreu e lhe deu muitas instruções. Sua relação privilegiada com o Anjo se tornou muito profunda e permaneceu pura e simples. E é esta a sua missão para este tempo: apontar para o mundo dos Anjos, nos convidando a olhar, a ter consciência, a nos abrir para estes nossos irmãos celestes.
Não se trata apenas de uma devoção: fazer umas orações aos Anjos e nada mais. Tampouco não é a finalidade de nossa relação com os Anjos de invocá-los na hora do perigo ou da necessidade. A Mãe Gabriele nos ensina mais: convivência consciente com os Santo Anjos!

Talvez alguns pensem: "Isto não é possível, pois não vejo os Anjos. Como poderia, então conviver com eles?" Aí a Mãe Gabriele nos diria que não é suficiente ver um Anjo, nós devemos experimentá-lo. Experimentar o Anjo não é difícil  pois ele está bem próximo, ao nosso lado, só precisamos estar atentos para escutar em nosso coração o seu chamado. Devemos ficar perspicazes, para captar diariamente o seu cuidado e seu socorro veloz como um relâmpago, ao redor de nós. Se nos lembrarmos dele cada dia, cada hora, mais facilmente ele entrará inconscientemente em nossa imaginação, e depois de um tempo será tão natural pensarmos nele que pensar em nossa vida sem ele será impossível.

O Santo anjo nos ajuda sobretudo através da iluminação, isto é, através de um grande fortalecimento de nossa força de conhecimento, através da luz do seu conhecimento que ele nos transmite. Por isso, a Mãe Gabriele nos recomenda pedirmos muitas vezes ao nosso Anjo:

"Santo Irmão, transmita-me, por causa de Maria, tua Rainha, a tua luz, a fim de que aprenda o conhecimento claro e a discerni-lo nitidamente! Amém".



Fonte: Carta Circular da Obra dos Santos Anjos, dezembro de 2012.