Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

sábado, 3 de maio de 2014

Instrumento de Deus para a Obra dos Santos Anjos

RECORDANDO A MÃE GABRIELE
(1896 - 1978)


"O amor à cruz é o mais pesado, o mais brilhante
e o mais frutuoso, porque conduz da terra ao céu".
(Mãe Gabriele)





Em todas as épocas DEUS escolhe no Seu livre desígnio a quem deseja confiar uma missão singular na Igreja. É a revelação visível de Sua presença paterna, salvífica e santificadora. Poderíamos citar aqui centenas de exemplos de vida dos Santos e da história da Igreja. Uns eram profetas de voz poderosa, outros pregavam pelo silêncio e brilho do testemunho de vida, simples e ocultos aos olhos do mundo. Sejam eles monges ou missionários, sacerdotes ou leigos, jovens ou até crianças, sempre o selo da propriedade divina os distinguia, imbuídos do mistério e da força do DEUS Altíssimo.



Para criar a Obra dos Santos Anjos, DEUS escolheu como instrumento uma simples mãe de família, Gabriele Bitterlich. Esse fato, por si só, se reveste de um particular significado, pois, assim como toda a Santa Igreja, também a Obra deve ser a família do Senhor, manifestação do Seu amor salvífico, comunidade de membros visíveis e invisíveis, de anjos e homens, unidos no Corpo Místico de CRISTO.



Personalidade forte, marcada pela profunda comunhão com DEUS, Gabriele irradiava o verdadeiro amor divino que, atuando na sua vocação materna, fez dela a Mãe da Obra dos Santos Anjos. É este o seu mais belo atributo, visível naquele amor sóbrio, puro, desapegado e autêntico que a todos atraía e a todos indicava o caminho para a casa do PAI.



Gabriele nasceu no dia 1o. de novembro de 1896 em Viena (Áustria), e foi batizada no dia 21 de novembro do mesmo ano. Desde criança Gabriele teve a graça de uma profunda união com o seu Santo Anjo da Guarda. A presença visível deste seu amigo celeste tornou-se tão natural e freqüente, a ponto de ocupar um lugar especial em toda sua vida. De fato, foi ele o pedagogo que o Senhor destinou para sua formação e caminho à santidade. No entanto, Mãe Gabriele não vivia num mundo de ilusões e fantasias. Já na adolescência começara uma sóbria educação nas mãos de DEUS. Desde cedo aprendera a procurar sempre a vontade de DEUS, mortificar a vontade própria, diminuir continuamente, a fim de que ELE fosse o único tesouro de sua vida. Mais tarde, depois de casada, em Innsbruck no dia 23 de maio de 1919, o Senhor submeteu-a a uma rigorosa formação na escola da Cruz, cumulando-a com inumeráveis e pesadas provações. Mãe Gabriele descobriu assim o segredo da renúncia por amor, crescendo na sede de DEUS que era puro anseio e ardor.



Mulher realista, consciente de seus deveres de esposa e mãe de família, ela vivia como que estendida na Cruz de uma grande tensão: de um lado, mergulhada no mistério de DEUS e por outro, envolta em inúmeras tarefas do dia a dia, atenta aos mínimos detalhes de sua vida doméstica. Conciliava em verdadeira santidade o contínuo olhar para DEUS, a constante atenção aos Santos Anjos e uma correspondência exemplar à sua vocação de mãe de uma família natural com seis filhos (três eram de adoção). E mais tarde, acrescentou-se uma família espiritual que atingia proporções mundiais. Como se não bastasse tudo isso, somavam-se a saúde debilitada e as contínuas doenças, vendo-se por várias vezes à beira da morte. Seu grande amor a DEUS também refletiu-se visivelmente na dedicação aos pobres e aos enfermos. A pobreza em espírito alçou-a à total simplicidade do caráter, condição essencial para a santidade. Chamada a uma verdadeira missão expiatória, Nosso Senhor introduziu-a gradativamente na experiência de Seu sofrimento Redentor no Horto das Oliveiras e do Calvário. Numa imolação total pelos sacerdotes, ela não meditava, mas vivia a Paixão de CRISTO numa participação real, interior e física. Assim nasceu a regra da "Passio Domini" (Paixão do Senhor) das quintas e sextas-feiras na Obra dos Santos Anjos e a nossa mais profunda vocação: a reparação pela Santa Igreja. Através dela aprendemos a amar a Cruz como o segredo que nos abre a porta ao eterno amor de DEUS. Mas a força para o sacrifício diário provinha ainda de um outro mistério: a profunda vida eucarística. O Santo Sacrifício da Missa e a conseqüente comunhão constituíam o ponto culminante de sua vida unitiva com Seu amado Senhor, antecipando todos os dias o céu na sua alma. Ela nos ensinou que a verdadeira reparação não é possível sem esta graça, pois é sempre DEUS em nós que opera e salva.



Formando sua serva na ciência da Cruz, DEUS a preparou para a missão de portadora de uma revelação particular em torno da realidade dos Anjos. Como jamais antes, Nosso Senhor revelou à Mãe Gabriele a partir de 1949 o mundo dos Santos Anjos, seus coros, sua missão na Igreja e na criação. Através dela o Senhor quis abrir os nossos olhos para a atualidade da presença destes grandes guerreiros invisíveis nos tempos de hoje, como intercessores, defensores e, sobretudo, como nossos educadores em vista da santidade e da vocação particular de cada um de nós. A Igreja sempre acompanhou de perto esta revelação por meio de seus legítimos representantes, a saber, o Bispo de Innsbruck, os diversos diretores por ele designados, e ultimamente por dois decretos da Santa Sé.



Mãe Gabriele orientou os nossos olhares para MARIA, a Esposa do ESPÍRITO SANTO e Senhor dos últimos tempos. Mostrou-nos que é ela a Rainha dos Anjos, a Vitoriosa que vem com seu exército angélico, pronta para o combate derradeiro. Por isso, a Obra vive em torno da Mãe de DEUS, a Mãe da transformação, a Arca da Aliança. Mãe Gabriele irradiava o ser mariano, não só pelo seu ser maternal, mas também pelo silêncio no qual guardava os arcanos da sua intimidade com DEUS e pela alegria que provava a
autenticidade de seu grande carisma. Na sua vida oculta, imolada pelos sacerdotes, imitava MARIA a Mãe dos sacerdotes. Ao longo de tantos anos, padres, religiosos e leigos reuniam-se em torno dela, por todos venerada com o carinhoso título de "Mãe". Assim surgiu a Obra dos Santos Anjos, em obediência ao Senhor e à Igreja, e não por iniciativa humana.



Sendo DEUS tudo para ela, a própria vida só teria sentido se configurada à Sua morte. Após uma longa e pesada agonia, o Senhor levou consigo esta alma-vítima no dia 4 de abril de 1978 no convento de S. Petesburg no Tirol (Áustria), onde também foi sepultada. Uma singela inscrição sobre a Cruz de madeira no túmulo diz: "DEUS é bom, Mãe". Nela se realizou plenamente a palavra: "Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida por seus amigos" (Jo 15,13).



Neste mês queremos pedir ao Senhor a graça de vê-la o quanto antes, elevada à honra dos altares, como exemplo de vida santa, para que todo o povo de DEUS possa recorrer à sua intercessão.




---------
NOVENA A MÃE GABRIELE



PAI, FILHO e ESPÍRITO SANTO!
VÓS encontrastes na Vossa serva Gabriele Bitterlich um instrumento escolhido
para os Vossos planos santíssimos. A exemplo de MARIA, Vossa Mãe, ela foi
muito além de sua própria família uma bondosa mãe que se sacrificava e
cuidava fielmente dos que lhe estavam confiados. Como os Santos Anjos, ela
atendia a todos os Vossos desejos, por menores que fossem, obedecendo em
tudo com obediência alada e em grade fidelidade. Em meio aos mais amargos
sofrimentos e nas horas mais obscuras VÓS a conformastes ao Vosso FILHO na
Cruz. Com MARIA ela disse o "ECCE" e com os Santos Anjos "Louvor a DEUS.
Como testemunho ela deixou para seus filhos a palavra "DEUS é Bom"!
Convencidos de que a vida sacrificada e fiel da Vossa serva Gabriele foi do
Vosso agrado, nós Vos suplicamos que, se for da Vossa Vontade, Vos digneis
apresentá-la ao mundo como modelo de uma vida santa, elevando-a à honra dos
altares, e conceder-nos pela intercessão da nossa Mãe Gabriele a graça de...



(reza-se como novena, acrescentando nove Sanctus em honra dos nove coros
angélicos, bem como nove Glória ao PAI e o Magnificat)
(A novena é somente para uso privado)



Pede-se o favor de comunicar graças alcançadas pela intercessão da Mãe Gabriele ao: administrador do blog pelo e-mail.
DEUS lhe pague.