Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

O Anjo do Senhor abriu a porta da prisão


LEITURA:

Atos dos Apóstolos 12

1 Nessa ocasião, o rei Herodes prendeu alguns que pertenciam à igreja, com a intenção de maltratá-los,
2 e mandou matar à espada Tiago, irmão de João.
3 Vendo que isso agradava aos judeus, prosseguiu, prendendo também Pedro durante a festa dos pães sem fermento.
4 Tendo-o prendido, lançou-o no cárcere, entregando-o para ser guardado por quatro escoltas de quatro soldados cada uma. Herodes pretendia submetê-lo a julgamento público depois da Páscoa.
5 Pedro, então, ficou detido na prisão, mas a igreja orava intensamente a Deus por ele.
6 Na noite anterior ao dia em que Herodes iria submetê-lo a julgamento, Pedro estava dormindo entre dois soldados, preso com duas algemas, e sentinelas montavam guarda à entrada do cárcere.
7 Repentinamente apareceu um anjo do Senhor, e uma luz brilhou na cela. Ele tocou no lado de Pedro e o acordou. "Depressa, levante-se!", disse ele. Então as algemas caíram dos punhos de Pedro.
8 O anjo lhe disse: "Vista-se e calce as sandálias". E Pedro assim fez. Disse-lhe ainda o anjo: "Ponha a capa e siga-me".
9 E, saindo, Pedro o seguiu, não sabendo que era real o que se fazia por meio do anjo; tudo lhe parecia uma visão.
10 Passaram a primeira e a segunda guarda, e chegaram ao portão de ferro que dava para a cidade. Este se abriu por si mesmo para eles, e passaram. Tendo saído, caminharam ao longo de uma rua e, de repente, o anjo o deixou.
11 Então Pedro caiu em si e disse: "Agora sei, sem nenhuma dúvida, que o Senhor enviou o seu anjo e me libertou das mãos de Herodes e de tudo o que o povo judeu esperava".
12 Percebendo isso, ele se dirigiu à casa de Maria, mãe de João, também chamado Marcos, onde muita gente se havia reunido e estava orando.
13 Pedro bateu à porta do alpendre, e uma serva chamada Rode veio atender.
14 Ao reconhecer a voz de Pedro, tomada de alegria, ela correu de volta, sem abrir a porta, e exclamou: "Pedro está à porta!"
15 Eles porém lhe disseram: "Você está fora de si!" Insistindo ela em afirmar que era Pedro, disseram-lhe: "Deve ser o anjo dele".
16 Mas Pedro continuou batendo e, quando abriram a porta e o viram, ficaram perplexos.
17 Mas ele, fazendo-lhes sinal para que se calassem, descreveu como o Senhor o havia tirado da prisão e disse: "Contem isso a Tiago e aos irmãos". Então saiu e foi para outro lugar.



O Apóstolo São Pedro encarcerado por ordem do rei Herodes, dormia entre dois soldados, amarrado com duas cadeias, de repente:
Apresentou-se um Anjo do Senhor;
A cela se encheu de luz;
O Anjo toca nas costa de Pedro;
O desperta;
Fala, levanta depressa e as cadeias lhe caiem;
Fala, cinge a cintura e calça as sandálias;
E saíram avançando por uma rua o anjo desaparece.

São Pedro pensava que tudo era um sonho e quando estava solto o Anjo o deixou. Os Anjos não nos tiram nossa própria responsabilidade, para que nós mesmo nos possamos ajudar, como podemos perceber no Evangelho.

Deve-se considerar também a confissão de São Pedro: "Agora me dou conta de que realmente o Senhor enviou seu Anjo e me arrancou das mãos de Herodes", manifesta que estava em pleno uso de suas faculdades e sentido. Não acontece também conosco? Frequentemente só depois compreendemos que se manifestou uma intervenção extraordinária, para então exclamar: desta vez realmente nos ajudou um Anjo de Deus. Por conseguinte, devemos estar realmente convencidos de que sempre se encontra ao nosso lado um Anjo de Deus, um Anjo da Guarda, para nos guiar e nos aconselhar.

A ajuda dos Anjos não se limita somente a proteção física, mas querem livrar da escravidão do pecado. Com a sua presença podem iluminar as áreas escuras do nosso coração, dos sentimentos de opressão e de violência.

Os Anjos estão a serviço dos homens para livrar os pobres e os defender dos que os exploram sem piedade.