Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

O chamamento do Anjo é um eco do chamamento de DEUS

O chamamento do Anjo é um eco do chamamento de Deus: "Abraão (...) pega no teu filho, no teu único filho, a quem tanto amas, Isaac, e vai a terra de Moriá, onde o oferecerás em holocausto num dos monte que Eu te indicar".


A exemplo de um dos seres enviados que falou como Deus, sob os carvalhos de Mambré."O Senhor apareceu a Abraão junto dos carvalhos de Mambré, quando estava junto à porta da sua tenda, durante as horas quente do dia. Abraão ergueu os olhos e viu três homens de pé em frente dele. Imediatamente correu da entrada da tenda ao seu encontro, prostou-se por terra e disse-lhes: 'Senhor, se achei graça aos teus olhos, não passes adiante, peço-te, sem parares em casa do teu servo."(Gen 18,1-5).



Este foi um acontecimento marcante da história da salvação - a promessa da criação do povo eleito, com a concepção do primogênito Isaac. Sob os carvalhos de Mambré, na Terra Prometida, o primeiro da linhagem de JESUS CRISTO, filho de David, filho de Abraão (Mt 1,1) tinha iniciado sua vida - O pai de Israel de quem o Messias descendia.

Foi Abraão que recebeu a primeira "anunciação".



"Mas o Anjo do Senhor gritou-lhe do céu: ' Abraão! Abraão!' Ele respondeu: 'Aqui estou'. O Anjo disse: 'Não levantes a tua mão sobre o menino e não lhe faças mal algum, porque sei agora que, na verdade, temes a DEUS,visto não Me teres recusado o teu único filho." (Gn 22,1-19)


Que sublime tarefa aquela que Deus confiou aos Anjos que são as suas criaturas! Há uma coisa que nós sabemos pela Bíblia: eles  existiram antes da criação do homem pois DEUS partilhou com eles o seu plano. "Façamos o homem à nossa imagem, à nossa semelhança"(Gen 1,26). Pudemos supor que eles pertencem ao conselho celeste, desde a eternidade. É a partir daí que DEUS envia os Anjos que escolheu para transmitir as suas palavras, quer em formas visíveis, quer em forma invisíveis, como a voz que se ouviu no monte Moriá.


O que se passou no monte Moriá foi aterrador, mas terminou com um sentimento de gratidão. Abraãao tinha sacrificado seu próprio filho no seu coração: ele estava pronto para executar a incompreensível ordem de DEUS. Era exatamente isso que DEUS queria.

A partir desse dia, ele quis receber somente sacrifício de animais. O Anjo mostrou a Abraão um carneiro que ele e Isaac poderiam oferecer no altar. DEUS não aceitou a oferta sacrificial do filho de Abraão, mas aceitaria um dia o sacrifício de vida oferecido pelo seu próprio filho.

Que formidável o plano de DEUS! Ele levou a cabo a salvação da humanidade no corpo vivo do povo eleito, concebendo pais e mães, ao longo dos tempos, até nascer a Mãe a quem o Arcanjo Gabriel diria: Hás de conceber em teu seio e dar à luz um filho, ao qual porás o nome de JESUS (Lc1,31). 

Estas anunciações são as mais importantes e as mais gloriosas das tarefas dos Anjos, pois elas estão na essência da salvação da humanidade através de DEUS que Se fez homem e habitou entre nós (Jo 1,14).

Fonte:Ziôlkowski, ZENON. Os Anjos. Editora Paulus, 2006.