Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

terça-feira, 1 de maio de 2012

O Bom Pastor


«O Bom Pastor entre dois Anjos» - Mosaico bizantino do século VI
 – Basílica de Santo Apolinário Novo em Ravenna, Itália


“O Bom Pastor chama suas ovelhas, cada uma pelo seu nome, e as conduz para fora (Jo 10,3). A chamada pelo nome é um raio de luz que ilumina as profundidades e as extensões desconhecidas da existência humana” (Basílio de Iviron, Pai do Deserto). Mesmo na experiência humana, quando a pessoa amada nos chama pelo nome, todo o nosso ser se revolve em alegria, emoção e confiança.

Mais: ao ouvirmos nosso nome pronunciado por quem nos ama, recebemos a verdadeira existência, pois o Senhor, ao nos chamar pelo nome nos torna pessoa única com um único nome e nos introduz no espaço da vida. “Conheço as minhas ovelhas e as minhas ovelhas me conhecem, como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e ofereço a minha vida pelas ovelhas” (Jo 10, 14-15): nossa existência participa do nome de Deus Uno e Trino e se estabelece conosco a mesma relação que há entre Deus Trindade e entre Deus e nós. Assim como Deus não pode renegar-se a si, não pode nos renegar: ele está em nós e nós estamos nele. É a condição para a existência humana.

Quando Deus nos chama pelo nome, as profundidades de nosso ser conseguem captar toda a beleza da existência, todos os sons e cores do universo, a beleza de cada ser também chamado pelo nome. Nosso nome, nos lábios divinos, liberta do mal à medida em que nos torna capazes de ver nosso valor. O demônio não conhece nosso nome, razão pela qual não atinge aqueles que ouvem a voz do Senhor.

Portanto, unido ao nosso Anjo da Guarda, a todos os Anjos e Santos do céus proclamemos:
 
"Santo, Santo, Santo,
Senhor Deus do Universo,
o céu e a terra proclamam a Vossa Glória,
hosana nas alturas. 
Bendito o que vem em nome do Senhor,
hosana nas alturas".