Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

A existência dos Anjos


Apesar de cada Anjo esgotar a sua própria espécie, todavia, estão unidos em coros. Há entre eles, pois, uma hierarquia não segundo espécies, mas segundo o grau de luz que os aproxima de Deus.


A divisão mais tradicional na Igreja, fundamentada na Sagrada Escritura, é aquela de Dionísio (Pseudo, ou Aeropagita), que constata nove coros divididos em três Hierarquias:

1º Hierarquia: Serafins, Querubins e Tronos – a serviço exclusivo da contemplação de DEUS, pelo Amor, pelo Conhecimento e pela Aceitação rendida da Sua Vontade, que transmitem ao resto da criação.

2º Hierarquia: Dominações, Virtudes e Potestades – recebem Luz de Deus através dos Anjos da 1ª Hierarquia. Ocupam-se da criação material na sua ligação com realidades espirituais.

3º Hierarquia: Principados, Arcanjos e Anjos – recebem Luz de Deus através dos Anjos da 2ª Hierarquia. Estão a serviço da humanidade.

Como em Deus tudo é Comunhão Pessoal, assim entre os Anjos também reina a comunhão. E esse é o significado mais amplo da existência dos Coros Angélicos: a Comunhão com Deus e em Deus com os outros Santos Anjos.

Assim que os Anjos dos coros mais altos comunicam luzes para os Anjos dos coros mais baixos. Compõem os Coros Celestes os:

1. Serafins: que tem amor ardente para com DEUS (Is 6, 2.6)
2. Querubins: que tem o cume da sabedoria (Gn 3,24; Ex 25,18; Sl 98,1 – Os Seres Vivos de Ez 10,20).
3. Tronos: que tem santo temor e prontidão para com Deus (Cl 1,16).
4. Dominações: que ordenam e governam por meio de súditos, ocupa-se do governo dos Anjos (Cl 1,16).
5. Virtudes: executam as ordens das Dominações, tem o poder de operar milagres na natureza (Ef, 1,21).
6. Potestades: que lutam contra os espíritos maus (Ef 1,21; Cl 1,16).
7. Principados: dirigem os destinos das nações (Ef 1,21; Cl 1,16).
8. Arcanjos: transmitem desígnios importantes de Deus e protegem pessoas que desempenham funções especiais na Igreja e defendem a própria Igreja (Jd 1,9).
9. Anjos: são os mais próximos de nós. A ele pertence nosso Anjo da Guarda (Ex 23,20; Mt 18,10).