Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

OS PERIGOS DA "NOVA ERA"



A New Age constitui um grande desafio para o cristianismo. Não só porque se está difundindo em nível planetário, mas, sobretudo, porque incorpora elementos do cristianismo, modificando seu significado original; por exemplo, JESUS CRISTO já não é considerado como Filho de DEUS e único Salvador do mundo, mas um “iluminado” ao lado de outros.


Existe a perda do conceito de «verdade», estamos em pleno subjetivismo. DEUS tem mil facetas (energia cósmica, extracósmica, uma Mente, o Todo, somos nós mesmos, etc).

Se JESUS já não é o Salvador, se vai à busca de outras salvações que se convertem em «auto-salvações» através de métodos, meditações, praticas várias, inclusive mágicas. Esvazia-se da espera escatológica, enquanto que a salvação chegará em qualquer caso após uma série, talvez longuíssima, de reencarnações.

Entre as tradições que se juntaram na Nova Era podem contar-se: as antigas práticas do ocultismo egípcio, a cabala, o gnosticismo cristão primitivo, o sufismo, as tradições dos druidas, o cristianismo celta, a alquimia medieval, o hermetismo renascentista, o budismo zen, a yoga, etc.

“A natureza gnóstica deste movimento exige que se o julgue em sua totalidade. Desde o ponto de vista da fé cristã, não é possível isolar alguns elementos da religiosidade da Nova Era como aceitáveis por parte dos cristãos e rejeitar outros. Posto que o movimento da Nova Era insiste tanto na comunicação com a natureza, no conhecimento cósmico de um bem universal, negando assim os conteúdos revelados da fé cristã, não pode ser considerado como algo positivo ou inócuo” (1).

As teses principais da New Age são incompatíveis com o cristianismo, muito mais, são opostas a ele.

DISFARÇADOS EM ANJOS DE LUZ



Quando na Nova Era se fala de anjos, se faz de maneira pouco sistemática, muito confusa e sem distinções. Os “anjos” da New Age são identificados como diversos níveis de guias, entidades, energias e seres que (segundo eles) estão espalhados pelo universo... Estes seres estariam à disposição para que cada um os possa escolher e eleger segundo os seus próprios mecanismos de atração–repulsão.

Estes seres espirituais às vezes são invocados de maneira “não religiosa” como uma ajuda para o relaxamento, com vista a melhorar a tomada de decisões e o controle da própria vida pessoal e profissional.

A New Age descreve espíritos da natureza como energias poderosas que existem no mundo natural e também nos “níveis interiores”: aos quais se acede mediante o uso de rituais, drogas e outras técnicas para alcançar estados de consciência alterados.

Urge esclarecer o seguinte: É certa a existência de criaturas espirituais que influenciam a ordem da natureza. Esses seres foram criados por DEUS. São os Anjos. Entre os Anjos não existe meio termo: ou são bons: Santos Anjos, ou maus: os demônios.

Como já dissemos em outro post, os Santos Anjos não têm interesse de alimentar a curiosidade humana, em hipótese alguma. Eles não chamam a atenção para si mesmos. Ao passo que os demônios não só querem a atenção dos homens, mas também o seu culto. E as pessoas que vão atrás de doutrinas exotéricas e New Age em geral, não estão se unindo aos Anjos Bons, mas aos maus... dá para entender?

“Isso não é de admirar, pois o próprio Satanás se disfarça de anjo de luz” (2 Cor 11,14).



_____________________
1. Documento do Vaticano «JESUS CRISTO, portador de água viva. Uma reflexão cristã sobre a Nova Era», n 4.


Fonte: Opus Sanctorum Angelorum