Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Testemunho

É A SALVAÇÃO QUE ESTÁ CHEGANDO!





(A história de Gustavo)
Certa manhã correu a notícia por todo povoado: "Gustavo desapareceu." Ninguém sabia para onde foi, mas talvez tivesse ido embora para um dos próximos portos, pois queria ser marinheiro. Mas o que acontecerá com ele, um rapaz de apenas treze anos, sem dinheiro, sem a benção dos pais, fugindo para longe da casa.
De fato, Gustavo estava fugindo de casa. Na sua fuga procurou na primeira noite um abrigo no cemitério de um povoado. A sorte não estava com ele, pois chovia torrencialmente. Para se proteger da chuva, subiu no nicho de uma janela da igreja ao lado do cemitério. Aconchegou-se bem no nicho da janela e deu com as costas contra o caixilho da mesma. Mas que horror! O rapaz caiu com o caixilho podre dentro da cripta!
Felizmente não sofreu quebraduras, mas ficou a noite inteira na escuridão daquele lugar. Na manhã seguinte, quando o sol despontou, viu com grande espanto que estava dentro de uma cripta para ataúdes de defuntos, e a janela encontrava-se a dois metros de altura.
Tentou subir pela parede, mas como esta era muito lisa e úmida não adiantou nada. Mesmo com o máximo esforço não conseguiu alcançar a janela. Ficou desesperado e começou a gritar, porém, sem resposta. Gritou horas a fio. Nada! Não ouvia passos, nada. Um silêncio completo. Como última solução começou a rezar ao Anjo da Guarda. Rezou e gritou o dia inteiro, até não ter mais forças para gritar. Passou a segunda noite naquela cripta.
Pelo meio dia do dia seguinte alguém abriu a porta da cripta. Gustavo logo pensou: "Graças a Deus! É a salvação que está chegando!" Entrou uma moça com uma vassoura na mão, pois queria fazer uma limpeza na cripta. Mas quando viu o rapaz, levou tamanho susto que logo fechou a porta e fugiu correndo. Pensava que se tratava de uma alma do outro mundo.
Houve uma longa demora. Enfim Gustavo escutou passos. Chegaram alguns homens robustos com o professor da aldeia e sua filha. Ao ver o rapaz, o professor disse: "Que sorte, meu caro! Como você entrou aqui? Olha, somente uma vez por ano mando varrer e limpar a cripta. E hoje de manhã, veio-me a idéia de limpá-la. E como este pensamento persistia, mandei minha filha fazer o serviço".
Então Gustavo, entre lágrimas e meio morto, contou a sua história e que o dia inteiro pediu a seu Anjo da Guarda que o livrasse daquela prisão. E terminou dizendo: "Acho que foi ele mesmo que lhe deu a idéia de limpar a cripta justamente hoje".