Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

domingo, 12 de dezembro de 2010

"Envia-me o teu Anjo"


Pe. Pio e o seu Anjo

 
Este relacionamento com seu Anjo da Guarda e com os outros Anjos influenciará muito a maneira como Padre Pio exercerá seu sacerdócio. Os Anjos tornaram-se quase como o seu braço prolongado. Aos seus filhos espirituais que lhe perguntaram muitas vezes: “Padre, o que devo fazer quando vou precisar de sua oração e não posso chegar para falar com o senhor?”, ele deu a resposta: “Se não puderes vir, envia-me teu Anjo da Guarda. Ele irá trazer-me a mensagem e eu vou ajudar-te tanto quanto puder” (Ibid., 85).


 

E muitas pessoas em perigos e dificuldades enviaram-lhe seus Anjos da Guarda e receberam ajuda imediata. Um dia duas moças de San Giovanni Rotondo conversavam à noite e começaram a falar também sobre Padre Pio, que ele parecia ter uma relação especial com os Anjos da Guarda. Então decidiram enviar-lhe seus Anjos da Guarda. Uma falou: “Vou enviar-lhe meu Anjo da Guarda pedindo que ele cure meu tio Frederico” e a outra: “e eu vou enviar-lhe meu Anjo para pedir a cura de minha prima”. No dia seguinte foram à Missa do Padre Pio e depois da Missa entraram na Sacristia para receber a bênção do Santo. Mas elas ficaram surpreendidas quando encontraram o Padre Pio zangado com elas. Perguntando pela razão, receberam a resposta: “Vocês me deixaram acordado toda noite”. Então falou a uma: “Primeiro você me enviou seu Anjo da Guarda pedindo a cura de seu tio Frederico. E depois você me enviou o seu para pedir a cura de sua prima”, falou ele à outra. “E fizeram assim toda a noite. Não consegui dormir nada!” (Ibid., 102).

Aconteceu também que alguém enviou o Anjo da Guarda para o Padre Pio mas depois desconfiou se este realmente foi ao Padre para levar-lhe os pedidos. Por isso perguntaram-lhe na próxima oportunidade se o Anjo havia trazido realmente a notícia. Então a resposta foi: “Você pensa que ele é tão desobediente como você? O Anjo é obediente e cheio de solicitude” (Esta é a hora dos Anjos, 126). Uma vez lhe foi perguntado: “Vossa reverendíssima ouve realmente o que lhe mando dizer pelo Anjo da Guarda?” e o Padre retrucou: “Mas então julgas que estou surdo?” (Ibid).
 
LAVS DEO