Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Um anjo que canta

Pe. Pio vivia numa profunda intimidade com Jesus, Nossa Senhora e seu Anjo da Guarda.

Falava com Eles como quem fala com amigos íntimos. Tinha em seu Santo Anjo um companheiro que sorria com ele, sofria com ele e sabia animá-lo nos momentos mais difíceis. Desde sua infância teve o privilegio de conviver intimamente com ele. Escreve Pe. Eusébio (confrade de Pe. Pio):


“Ele (o Anjo da Guarda) iniciou o seu trabalho cedo, quando Pe. Pio ainda era menino. Ele tomou o semblante de outra criança e se fez visível para ele. Pe. Pio começou a chamar o seu Anjo da Guarda de ‘o Companheiro de minha infância’... Pe Pio brincava com ele...” E o considerava “um amigo do Céu que fez feliz sua infância e o aproximou da Eternidade”



Como sabemos o inferno travou uma luta contra o Pe. Pio. Vejamos esse seu relato ao confessor:


“Quando eu recebi a sua carta, recentemente, e antes que eu a abrisse, aqueles miseráveis disseram-me para rasgá-la ou jogá-la no fogo. Se eu fizesse isso eles se retirariam por bem e não me importunariam mais. Eu me mantive em silencio sem dar-lhes nenhuma resposta, enquanto em meu coração tentava despistá-los...

Nós queremos isso somente, como condição de nossa retirada. Se você, assim o fizer,não estará desobedecendo a ninguém...
Eu respondi que nada me faria mudar de idéia e eles se atiraram sobre mim como se fossem um bando de tigres famintos” .

Em outra ocasião em que Ele foi atacado pelos demônios, escreveu:

“Eu não posso contar-lhe a maneira como estes safardanas me espancaram. Algumas vezes eu sinto que estou para morrer. No sábado parecia-me que eles queriam dar-me um fim e eu não sabia a qual santo eu deveria invocar. Eu voltei-me para o meu Anjo da Guarda e, depois que ele me fez espera um pouco, apareceu, bem acima de mim, cantando hinos à Divina Majestade com sua voz angelical”.

Qual não foi o espanto do Pe. Pio em tal situação: ele quase morto pelos ataques dos demônios e o seu Anjo que, depois de fazê-lo esperar, aparece cantando hinos a Deus...