Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

O AUXÍLIO DOS SANTOS ANJOS NO EXAME DE CONSCIÊNCIA I

“O auxílio dos santos Anjos na vida espiritual segundo o testemunho da Sagrada Escritura” 


Oração Senhor e DEUS, Vós nos destes o benefício indizível de ter sempre ao nosso lado um dos Vossos servos para nossa constante proteção. Dai-nos a graça de Vos poder reconhecer cada vez melhor por meio dele, de Vos poder amar cada vez mais ardentemente e de poder seguir, apalpando, a Vossa Santíssima Vontade cada vez mais fielmente. Deixai que ele nos ajude a levar a nossa cruz e se alegre conosco quando Vós nos atendeis e a Vossa misericórdia se inclina sobre nós. Amém. 
   
Na Carta aos Gálatas, São Paulo dá-nos uma pequena definição da vida espiritual: “Se vivemos pelo ESPÍRITO, pelo ESPÍRITO pautemos também a nossa conduta” (Gl 5,25). Assim, podemos afirmar que a vida espiritual é a vida segundo o ESPÍRITO. São Paulo nos indica em que deve consistir a vida espiritual, indicando-nos os frutos do ESPÍRITO: “amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, autodomínio” (Gl 5,22-23). Este ESPÍRITO é aquele Defensor prometido por JESUS (cf. Jo 16,7), é o ESPÍRITO de JESUS. Por isso, também podemos definir a vida espiritual como aquela vida pautada segundo JESUS CRISTO. A essência da vida espiritual consiste em duas coisas, uma da parte de DEUS, outra da parte do homem. Da parte de DEUS consiste nas operações divinas na alma, nas luzes que iluminam o entendimento, nas inspirações que tocam a vontade. Da parte do homem consiste na cooperação da alma às luzes e aos movimentos da graça. Para tratar com DEUS e para se dispor a receber dEle uma comunicação mais forte e mais frequente, é necessário ter uma grande pureza de coração, uma grande força de espírito, uma constante e inviolável fidelidade para cooperar com DEUS e seguir a moção do Seu ESPÍRITO. Devemos, pois, nos comportar e orientar a nossa conduta segundo o ESPÍRITO de DEUS, usando uma parte do nosso tempo ao exame das disposições do nosso coração, a reconhecer o que se passa, e a discernir o que é de DEUS, a nos conformarmos à condução do ESPÍRITO SANTO e a nos determinarmos a tudo fazer e sofrer por DEUS (D.Sp. IV,1836). Assim, queremos falar sobre o exame de consciência e ver em que sentido os santos Anjos nos podem ajudar nele. O exame de consciência é um meio de acesso a DEUS, é a primeira condição para ter acesso a DEUS (D.Sp. IV,1800s). É, portanto, um encontro com DEUS, que nos revela a nós mesmos, que nos faz estar atentos à nossa vida. É uma verdadeira antecipação daquela prestação de contas que faremos no último dia de nossa vida diante de DEUS, é o nosso encontro com DEUS, no qual será revelado a nós mesmos quem nós somos. Ele é, portanto, uma das melhores ajudas na vida espiritual. O exame de consciência é também uma verdadeira oração, porque nele estamos diante de DEUS tal como somos (cf. D.Sp. IV,1801). Estamos diante dAquele que nos conhece. Por isso, neste exame nunca estamos sozinhos dentro de nós, mas estamos com DEUS, com o Seu olhar, estamos com Aquele que nos ama intimamente. O exame de consciência é aquele exercício que nos permite conhecermo-nos a nós mesmos, tomar consciência das nossas faltas e estabelecer a nossa responsabilidade, dispor-nos para uma sincera contrição ao perdão de DEUS, organizar a nossa vida com prudência em vista de um progresso moral e espiritual. É fundamentalmente um ato de vida em DEUS (D.Sp. IV,1831s). O exame de consciência situa a alma sobre o olhar de DEUS, fazendo-a ver e querer em DEUS (D.Sp. IV,1834). Enfim, conduz à união com DEUS, pois aparece seja como exercício seja como diálogo com DEUS, uma oração que nos aproxima de DEUS. É um verdadeiro exercício espiritual que responde àquilo que DEUS quer de nós (D.Sp. IV,1837). Na Sagrada Escritura não se fala claramente nem que os santos Anjos, de modo especial, o santo Anjo da Guarda, nos falam à consciência, nem que eles nos ajudam neste exame de consciência. O que encontramos na Sagrada Escritura são acontecimentos históricos onde os santos Anjos intervêm, mas que para nós são como que um exame de consciência, onde o santo Anjo nos faz parar e pensar sobre o rumo de nossa vida. “O Anjo fala ao nosso coração, (...) aponta sempre para DEUS, para Sua palavra e Sua doutrina, para os Seus mandamentos e para as promessas que Lhe juramos, para os propósitos que fizemos, para a possibilidade de provar a DEUS o nosso amor, a nossa fidelidade” (O nosso Anjo da Guarda, p. 8). A este respeito, queremos meditar neste trabalho dois exemplos que a Sagrada Escritura nos dá: a história de Agar (Gn 16) e a história de Balaão (Nm 22). Sempre o Antigo Testamento deve ser entendido à luz do Novo Testamento (DV 16), e do mesmo modo, aquilo que se refere ao Povo eleito se deve entender como uma prefigura do novo Povo eleito: a Igreja (cf. LG 9). Assim podemos entender que a aliança que DEUS fez com Israel no Monte Sinai, também se possa aplicar a nós, Igreja de DEUS. É o caso da aliança que DEUS fez colocando os santos Anjos ao serviço do Povo de DEUS. Disse DEUS a Moisés: “Vou enviar um Anjo adiante de ti para te proteger no caminho e para te conduzir ao lugar que te preparei. Está de sobreaviso em sua presença, e ouve o que ele te diz. Não lhe resistas, pois ele não te perdoaria tua falta, porque Meu Nome está nele. Mas, se lhe obedeceres pontualmente, se fizeres tudo o que Eu te disser, serei o inimigo dos teus inimigos, e o adversário dos teus adversários. Porque Meu Anjo marchará adiante de ti e te conduzirá entre os amorreus, os hiteus, os ferezeus, os cananeus, os heveus e os jebuseus, que exterminarei” (Ex 23,20-23).

DEUS concede-nos um santo Anjo para: 
1. nos proteger no caminho, 
2. e nos conduzir ao lugar que DEUS nos preparou.

Por isso, nós devemos: 
1. estar de sobreaviso em sua presença, 
2. ouvir o que ele diz, 3. não lhe resistir.


Oração Santo Anjo, amigo mais fiel de todos, a ti dei a minha mão para me conduzires! Quando não houver mais vereda, sê tua minha bússola, quando obscurecer em volta de mim, sê tu a minha luz! Quando perder o apoio, sê tu o braço sustentador, e quando me desalentar, sê tu o coração forte dentro de mim e diz: “Fica tranquilo, pois DEUS está em ti! E MARIA, tua Mãe, colocou o seu manto em volta de ti, a fim de alcançares a meta, seguro e sem perigo e cheio de confiança”. Assim, santo Anjo, quero descansadamente continuar o meu caminho contigo! Amém. 

Fonte:“O AUXÍLIO DOS SANTOS ANJOS NO EXAME DE CONSCIÊNCIA” Pe. Gonçalo Rosa Machado, ORC