Em união com todos os Santos Anjos

"Sanctus, Sanctus, Sanctus. Dóminus, Deus Sábaoth Pleni sunt caeli et terra Glória tua. Hosánna in excélsis. Benedíctus, qui venit In nómine Dómini, Hosánna in excélsis.

domingo, 22 de novembro de 2015

CRISTO Rei

Em que consiste o poder de JESUS CRISTO REI?

Não é o dos reis e dos grandes deste mundo; é o poder divino de dar a vida eterna, de libertar do mal, de derrotar o domínio da morte. É o poder do Amor, que do mal sabe obter o bem, enternecer um coração endurecido, levar paz ao conflito mais áspero, acender a esperança na escuridão mais cerrada. Este Reino da Graça nunca se impõe, e respeita sempre a nossa liberdade. Cristo veio para "dar testemunho da verdade" (Jo 18, 37...) – como declarou diante de Pilatos –: quem acolhe o seu testemunho, coloca-se sob a sua "bandeira", segundo a imagem querida a Santo Inácio de Loyola.
Portanto, torna-se necessária – sem dúvida – para cada consciência uma opção: quem quero seguir? Deus ou o maligno? A verdade ou a mentira? Escolher Cristo não garante o sucesso segundo os critérios do mundo, mas assegura aquela paz e alegria que só Ele pode dar. Demonstra isto, em todas as épocas, a experiência de tantos homens e mulheres que, em nome de Cristo, em nome da verdade e da justiça, souberam opor-se às lisonjas dos poderes terrenos com as suas diversas máscaras, até selar com o martírio esta sua fidelidade.
Queridos irmãos e irmãs, quando o Anjo Gabriel levou o anúncio a Maria, prenunciou-lhe que o seu Filho teria herdado o trono de David e reinado para sempre (cf. Lc 1, 32-33). E a Virgem Santa acreditou ainda antes de O dar ao mundo. Depois, sem dúvida, teve que se interrogar sobre qual novo género de realeza era a de Jesus, e compreendeu-o ouvindo as suas palavras e sobretudo participando intimamente do mistério da sua morte e ressurreição. Peçamos a Maria que nos ajude também a nós a seguir Jesus, nosso Rei, como ela fez, e a dar testemunho dele com toda a nossa existência.

Pp Bento XVI, na solenidade de CRISTO REI em 2009

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Oração

ORAÇÃO AOS ANJOS QUE ATUAM EM NOSSO AMBIENTE

Vós Anjos do meu mundo diário; Anjos de meus familiares e toda minha estirpe; Santos Anjos de minha Pátria e de toda a Igreja. Santos Anjos das pessoas que me querem bem, também dos que não me querem. Santos Anjos “a quem DEUS ordenou guardar-nos e guiar-nos” (Sl 90,11).

Deixe-nos estar sob o ambiente de seu poder e participar dos frutos de suas ações e força de vontade. Vós participais na atuação de DEUS Uno e Trino, na luz da SABEDORIA incriada e no fogo de amor do ESPÍRITO SANTO. Que se destruam os planos dos ímpios e seja quebrada toda má influência; que os membros enfermos do Corpo de CRISTO cheguem à cura, à perfeição.

Que o apostolado do Amor chegue a realizar a unidade na fé e a consumação da Igreja. Amem.

Do antigo apêndice do Ritual Romano para a Igreja na Alemanha, aprovado pela santa Sé. (Ratisbona 1950)

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

02 DE OUTUBRO - DIA DO SANTO ANJO DA GUARDA


"A teu respeito, ordenou o Senhor a seus anjos que te guardem em todos os teus caminhos." Esta palavra quanta reverência deve despertar em ti, aumentar a gratidão, dar confiança.
Reverência pela presença (do teu Anjo), gratidão pela benevolência, confiança pela proteção. Estão aqui, portanto, e estão junto de ti, não apenas contigo, mas em teu favor. Estão aqui para proteger, para te serem úteis. Na verdade, embora enviados por Deu...s, não nos é lícito ser ingratos para com eles, que com tanto amor lhe obedecem e em tamanhas necessidades nos auxiliam.
Sejamos-lhes fiéis, sejamos gratos a tão grandes protetores; paguemos-lhes com amor; honremo-los tanto quanto pudermos, quanto devemos. Prestemos, no entanto, todo o nosso amor e nossa honra àquele que é tudo para nós e para eles; de quem recebemos poder amar e honrar, de quem merecemos ser amados e honrados.
                                                                                    
                                                                                                                         -São Bernardo
 
 
Fonte: Obra dos Santos Anjos

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

TORNAR-SE ANJO DA GUARDA

Em 2007 o Santo Padre, o Papa Bento XVI, fez uma bela homilia na Festa dos três Arcanjos, ocasião onde sagrou novos Bispos para a Igreja, e falou sobre a ligação íntima entre a missão dos Anjos e as dos Bispos. Mas o conteúdo profundo da meditação serve também para cada um de nós. Confiram:
“Mas o que é um Anjo?
...
A Sagrada Escritura e a tradição da Igreja deixam-nos entrever dois aspectos. Por um lado, o Anjo é uma criatura que está diante de Deus, orientada, com todo o seu ser para Deus. Os três nomes dos Arcanjos terminam com a palavra "El", que significa "Deus". Deus está inscrito nos seus nomes, na sua natureza. A sua verdadeira natureza é a existência em vista d'Ele e para Ele. Explica-se precisamente assim também o segundo aspecto que caracteriza os Anjos: eles são mensageiros de Deus. Trazem Deus aos homens, abrem o céu e assim abrem a terra.
Exatamente porque estão junto de Deus, podem estar também muito próximos do homem. De fato, Deus é mais íntimo a cada um de nós de quanto o somos nós próprios. Os Anjos falam ao homem do que constitui o seu verdadeiro ser, do que na sua vida com muita frequência está velado e sepultado. Eles chamam-no a reentrar em si mesmo, tocando-o da parte de Deus.
Neste sentido também nós, seres humanos, deveríamos tornar-nos sempre de novo anjos uns para os outros anjos que nos afastam dos caminhos errados e nos orientam sempre de novo para Deus.”

 
 

domingo, 16 de agosto de 2015

Solenidade da Assunção de Nossa Senhora

 
 
Augusta Rainha dos céus, soberana mestra dos Anjos,
Vós que, desde o princípio, recebestes de Deus
o poder e a missão de esmagar a cabeça de Satanás,
Nós vo-lo pedimos humildemente,
Enviai vossas legiões celestes para que,
sob vossas ordens, e por vosso poder,
Elas persigam os demônios, combatendo-os por toda a parte,
Reprimindo-lhes a insolência, e lançando-os no abismo.
Quem é como Deus?
Ó Mãe de bondade e ternura,
Vós sereis sempre o nosso Amor e a nossa esperança.
Ó Mãe Divina,
Enviai os Santos Anjos para nos defenderem,
E repeli para longe de nós o cruel inimigo.
Santos Anjos e Arcanjos,
Defendei-nos e guardai-nos. Amém.

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Refletindo


VIVER EM UNIÃO COM OS ANJOS



“Recito o ‘Angele Dei’ (Santo Anjo do Senhor) pelo menos cinco vezes por dia e muitas vezes converso espiritualmente com ele, sempre com calma e paz. Quando tenho que visitar alguma personalidade importante para tratar de assuntos da Santa Sé, peço ao meu Anjo para que entre em acordo com o Anjo da pessoa que vou encontrar, para que influa nas suas disposições. É uma pequena devoção da qual o Santo Padre Pio XI me falou uma vez, e que eu considero muito frutuosa”.
São João XXIII

domingo, 2 de agosto de 2015

Agosto mês vocacional

Como estamos no mês de Agosto, mês vocacional, e a maioria dos jovens são chamados ao Matrimônio, eis aí uma dica preciosa:
Foto de Opus Sanctorum Angelorum.
 
ORAÇÃO A SÃO RAFAEL PARA A ESCOLHA PRUDENTE DO CÔNJUGE PARA A VIDA.

Glorioso São Rafael, patrono da juventude, tu que amas os jovens, tenho a necessidade de invocar-te e pedir a tua ajuda. Com toda a confiança te abro o meu coração e peço tua guia e assistência na tarefa importante de planejar o meu futuro. Obtém-me, através de tua intercessão, a luz da Graça de DEUS, para que eu decida sabiamente a respeito da pessoa que será a companheira de minha vida.
Tu, Anjo dos encontros felizes, guia-nos com tua mão para encontrar-nos um ao outro. Que todos os nossos movimentos sejam guiados pela tua luz e transfigurados por tua alegria. Como tu guiaste o jovem Tobias até Sara, e lhes abriste uma nova vida de felicidade em seu santo matrimônio, guia-me até aquele (la), a quem tua sabedoria angelical considera como o (a) melhor a unir-se comigo em matrimônio.
São Rafael, amigo dos jovens, sê meu amigo, porque quero sempre ser teu amigo. Desejo sempre invocar-te em minhas necessidades. A teu cuidado especial confio a decisão que tomarei em relação a meu (minha) futuro (a) esposo (a). Dirija-me até à pessoa, com a qual posso colaborar melhor no cumprimento da santa Vontade de DEUS, e com quem posso viver em paz, amor e harmonia nesta vida, e alcançar a alegria eterna na futura. Amém.
(com aprovação Eclesiástica)

Opus Sanctorum Angelorum

sábado, 1 de agosto de 2015

PELA COMUNHÃO SEREI COMO OS ANJOS

 
O meu destino é o mesmo dos Anjos: amar e louvar a Deus, eternamente, no céu. Para isto, tenho de viver uma vida igual à dos Anjos: amar e servir a Deus. Ser santo é meu dever.
Para isto sou ajudado constantemente pelo meu Anjo da Guarda. Não desprezarei este auxilio. Atenderei às boas sugestões, para segui-las; encomendar-me-ei aos seus favores junto de Deus; lembrar-me-ei sempre da sua presença, para não fazer nada que lhe desagrade.
 
Nas tentações não me esquecerei de pedir-lhe que venha em meu auxilio: ele ajudou a vencer o anjo rebelde que me tenta. Mas também não facilitarei com o demônio, a quem procurarei vencer pela vigilância e pela oração: "Vigiai e orai"...
 
No meu batismo renunciei a Satanás e a tudo o que lhe pertence, para me consagrar a Jesus Cristo. Agora, Satanás não descansa: quer reconquistar a minha alma, destruindo a vida sobrenatural, o estado de graça. Para não recair no poder do demônio, me confessarei amiúde, serei assíduo à oração e à mortificação, e, principalmente, comungarei frequentemente. A Comunhão é o "pão' dos Anjos". Pela comunhão serei como os Anjos.
 
 Fonte: Pe. Álvaro Negromonte, A Doutrina Viva para o curso secundário, (Vozes, 2 ed, 1941) -com adequação redacional e ortográfica dos Arautos do Evangelho.

domingo, 12 de julho de 2015

O Santo Anjo e seu precioso auxílio

Contamos algumas histórias sobre Anjos da Guarda que nos ajudam a ficar mais conscientes do poder desses companheiros que recebemos de Deus e que sempre permanecem ao nosso lado. De fato, o Anjo da Guarda é um presente de Deus para nós, é um dom muito precioso!

Mas, ao considerar a ajuda do Anjo da Guarda não seria bom ficar somente com a parte onde ele nos ajuda de maneira extraordinária, em grandes necessidades, ou nos livra de situações nas quais, sem ele, estaríamos perdidos. Embora tais acontecimentos aumentem em nós a gratidão e a confiança no Anjo, não devemos restringir-nos só a tais atos, porque não precisamos esperar momentos perigos ou crises para entrar em contato com o Anjo ou para experimentar a sua ajuda. Ao contrário, o Anjo está constantemente ao nosso lado, noite e dia, na alegria e na tristeza, na monotonia do dia a dia como também no júbilo das festas. Ele foi dado a nós a fim de nos ajudar a chegar ao céu, alcançar a felicidade eterna e, antes disso ainda, para que nos tornemos santos já aqui na terra.
Por isso, o auxílio que o Anjo nos oferece vai muito além da ajuda extraordinária, e abrange muito mais do que a ajuda material. Sua proteção diante de perigos que ameaçam o nosso corpo ou os nossos bens apenas é a menor parte de sua tarefa, porque muito mais do que o nosso corpo ele deve e quer proteger e guardar a nossa alma com as suas riquezas e preciosidades. Que são os nossos bens materiais e o que vale o nosso corpo em comparação com nossa alma?

É na alma que se encontra o nosso entendimento e a nossa vontade, e com esta vontade nós devemos muitas vezes durante a vida decidir-nos por Deus. É nessa vontade que encontramos a nossa felicidade eterna.  "A tua vontade livre é a tua maior bênção ou maldição". Assim, nossa alma pode ganhar ou perder a sua eterna felicidade conforme a decisão da vontade. Considerando esse aspecto da alma é bem provável que a maior parte dos milagres realizados pelos Anjos fique desconhecida para nós porque não enxergamos.

Nós devemos rezar muito pedindo a Deus que Ele nos abra os olhos para melhor reconhecermos o quanto e onde o Anjo atua em nossa vida. Somente assim vai brotar em nós a gratidão, e renderemos a devida ação de graças a ele e a Deus. E o que mais poderemos fazer para perceber melhor a disposição que o Anjo tem para nos ajudar? A resposta é simples: Nós devemos conviver mais conscientemente com o nosso Anjo. Quanto mais incluímos o Anjo em nossa vida cotidiana, tanto mais experimentaremos a sua ajuda e assistência.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

São Pedro e São Paulo

 
 
 
OS ANJOS NA VIDA DO APÓSTOLO SÃO PAULO
 
“Atravessando em seguida a Frígia e a província da Galácia, foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar a palavra de Deus na (província da) Ásia.
Ao chegarem aos confins da Mísia, tencionavam seguir para a Bitínia, mas o Espírito de Jesus não o permitiu.
Depois de haverem atravessado rapidamente a Mísia, desceram a Trôade.
...
De noite, Paulo teve uma visão: um macedônio, em pé, diante dele, lhe rogava: Passa à Macedônia, e vem em nosso auxílio!
Assim que teve essa visão, procuramos partir para a Macedônia, certos de que Deus nos chamava a pregar-lhes o Evangelho.”
Atos dos Apóstolos 16, 6-10
O testemunho de vários santos e bons exegetas reconhecem neste "macedônio" o Anjo da Macedônia, que chama Paulo a evangelizar o continente europeu.
 
 
 
OS ANJOS NA VIDA DO APÓSTOLO SÃO PEDRO
 
“Enquanto Pedro era mantido na prisão, a Igreja rezava continuamente a Deus por ele.
Herodes estava para apresentá-lo. Naquela mesma noite, Pedro dormia entre dois soldados, preso com duas correntes; e os guardas vigiavam a porta da prisão.
Eis que apareceu o Anjo do Senhor e uma luz iluminou a cela. O Anjo tocou o ombro de Pedro, acordou-o e disse: “Levanta-te depressa!” As correntes caíram-lhe das mãos....
O Anjo continuou: “Coloca o cinto e calça tuas sandálias!” Pedro obedeceu e o anjo lhe disse: “Põe tua capa e vem comigo!”
Pedro acompanhou-o, e não sabia que era realidade o que estava acontecendo por meio do Anjo, pois pensava que aquilo era uma visão.
Depois de passarem pela primeira e segunda guarda, chegaram ao portão de ferro que dava para a cidade. O portão abriu-se sozinho. Eles saíram, caminharam por uma rua e logo depois o Anjo o deixou. Então Pedro caiu em si e disse: “Agora sei, de fato, que o Senhor enviou o seu Anjo para me libertar do poder de Herodes e de tudo o que o povo judeu esperava!”
Atos dos Apóstolos 12, 5-11

ÍCONE DE NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO


Eis alguns significados do ícone
1 - Abreviação grega de "Mãe de Deus"....
2 - Coroa de Ouro - O quadro original foi coroado em 1867 em agradecimento dos muitos milagres feitos por Nossa Senhora em se título preferido "Perpétuo Socorro".
3- Estrela no véu de Maria, a Estrela que nos guia no mar da vida até o porto da salvação.
4- Abreviatura de "Arcanjo São Miguel".
5 - São Miguel apresenta a lança, a vara com a esponja e o cálice das amarguras.

6 - A boca de Maria é pequenina, para guardar silêncio, e evitar as palavras inúteis.
7 - Túnica vermelha, distintivo das virgens no tempo de Nossa Senhora.
8 - As mãos de Jesus apoiadas na mão de Maria, significando que por elas nos vêm todas as graças.
9 - Abreviatura de "Arcanjo São Gabriel".
10 - Os olhos de Maria, grandes, voltados sempre para nós, a fim de ver todas as nossas necessidades.
11 - São Gabriel com a cruz e os cravos, instrumentos da morte de Jesus.
12 - Abreviação de "Jesus Cristo".
13 - O fundo do quadro é de ouro, dele esplendem reflexos cambiantes, matizando as roupas e simbolizando a glória do paraíso para onde iremos, levados pelo perpétuo socorro de Maria.
14 - A mão esquerda de Maria sustentando Jesus - a mão do consolo que Maria estende a todos que a ela recorrem nas lutas da vida.
15 - A sandália desatada - símbolo talvez de um pecador preso ainda a Jesus por um fio - o último - a devoção a Nossa Senhora.
16 - Manto azul, emblema das mães naquela época. Maria é a Virgem - Mãe de Deus.

Grupo de Estudo São João Bosco - Mirandópolis/SP

domingo, 28 de junho de 2015

ABENÇOADO DOMINGO OU FIM DE SEMANA?



Ninguém desconhece, com efeito, que, num passado relativamente recente, a « santificação » do domingo era facilitada, nos países de tradição cristã, por uma ampla participação popular e, inclusive, pela organização da sociedade civil, que previa o descanso dominical como ponto indiscutível na legislação relativa às várias actividades laborativas.
Hoje, porém, mesmo nos países onde as leis sancionam o carácter festivo deste dia, a evolução d...as condições sócio-económicas acabou por modificar profundamente os comportamentos colectivos e, consequentemente, a fisionomia do domingo. Impôs-se amplamente o costume do « fim de semana », entendido como momento semanal de distensão, transcorrido, talvez, longe da morada habitual e caracterizado, com frequência, pela participação em actividades culturais, políticas e desportivas, cuja realização coincide precisamente com os dias festivos.
Trata-se de um fenómeno social e cultural que não deixa, por certo, de ter elementos positivos, na medida em que pode contribuir, no respeito de valores autênticos, para o desenvolvimento humano e o progresso no conjunto da vida social. Isto é devido, não só à necessidade do descanso, mas também à exigência de « festejar » que está dentro do ser humano. Infelizmente, quando o domingo perde o significado original e se reduz a puro « fim de semana », pode acontecer que o homem permaneça cerrado num horizonte tão restrito, que não mais lhe permite ver o « céu ». Então, mesmo bem trajado, torna-se intimamente incapaz de « festejar ».(7)
Aos discípulos de Cristo, contudo, é-lhes pedido que não confundam a celebração do Domingo, que deve ser uma verdadeira santificação do dia Senhor, com o « fim de semana » entendido fundamentalmente como tempo de mero repouso ou de diversão. Urge, a este respeito, uma autêntica maturidade espiritual, que ajude os cristãos a « serem eles próprios », plenamente coerentes com o dom da fé, sempre prontos a mostrar a esperança neles depositada (cf. 1 Ped 3,15). Isto implica também uma compreensão mais profunda do domingo, para poder vivê-lo, inclusivamente em situações difíceis, com plena docilidade ao Espírito Santo.
Carta Apostólica DIES DOMINI, 4 - sobre a santificação do Domingo
Do Papa João Paulo II

domingo, 17 de maio de 2015

Ascenção do Senhor

Somos cidadãos do Céu! (Fl 3, 20). E como os apóstolos, que após a Ascensão ficaram "olhando para o céu", devemos ter "o olhar fixado nEle..." (At 1,10).



Os Anjos dizem aos Apóstolos que é hora de começar a imensa tarefa que os espera, e que não devem perder um só instante. Com a Ascensão termina a missão terrena de Cristo e começa a dos seus discípulos, a nossa. E hoje, na nossa oração, é bom que ouçamos de novo as palavras com que o Senhor intercede diante de Deus Pai por nós: Não peço que os tires do mundo, do nosso ambiente, do nosso trabalho, da família..., mas que os preserves do mal (Jo, 17). Porque o Senhor quer que cada um no seu lugar continue a tarefa de santificar o mundo, para melhorá-lo e colocá-lo aos seus pés: as almas, as instituições, as famílias, a vida pública... Porque só assim o mundo será um lugar em que se valoriza e se respeita a dignidade humana, em que se pode conviver em paz, com essa paz verdadeira que está tão ligada à união com Deus.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Aparição de São Miguel no Monte Sant’ Angelo

                                   Festa Comemorativa desta aparição dia 8 de maio



Nos fins do século V, quando na cadeira de São Pedro regia a Igreja o Papa São Gelásio, um pastor que apascentava uma manada de vacas no alto do Monte Gargano, na Itália, província da Apúlia, querendo obrigar um novilho a sair de uma caverna onde se refugiara, desferiu lá dentro uma flecha, a qual retrocedeu com a mesma velocidade, vindo ferir quem a lançara.
Este fato causou admiração nos que presenciaram este acontecimento e a notícia foi longe e chegou também aos ouvidos do Bispo de Siponto, cidade que ficava no sopé da montanha.
Julgou ele tratar-se de algum misterioso sinal da parte de DEUS e ordenou um jejum de três dias em toda a diocese, pedindo ao SENHOR se dignasse revelar-lhe do que se tratava. DEUS escutou as orações do Prelado e, passados três dias, apareceu- lhe o Arcanjo São Miguel declarando-lhe que o SENHOR queria que a ele, Anjo tutelar da Igreja, e aos outros Anjos, se edificasse naquela caverna, onde se manifestou o prodígio, uma igreja em sua honra, para reavivar a fé e a devoção dos fiéis no seu amor e proteção, como Anjo custódio da Igreja Católica.
Tendo o Bispo comunicado ao povo a visão que tivera e o que lhe fora pedido, foi ele próprio, com muita gente, observar o local. Encontraram uma caverna espaçosa em forma de templo, cavada na rocha, com uma fenda natural na abóbada, de onde jorrava a luz que a iluminava. Nada mais era preciso que pôr um altar-mor para celebrar os Divinos Mistérios. Levantado o altar, o Bispo consagrou-o. Todos os povos vizinhos acudiram para a cerimônia cheios de alegria e a festa durou vários dias.

O Santuário do glorioso Arcanjo na gruta do Monte Gargano, é considerado um dos mais célebres e devotos de todo o Mundo. A Igreja, para atestar este fato histórico, marcou para o Calendário Litúrgico Universal a Festa Comemorativa desta aparição, no dia 8 de maio. Esta festa foi obrigatória para toda a igreja até à nova reforma litúrgica após o Concílio Vaticano II.
Atualmente, só é obrigatória na diocese de origem e em alguns calendários particulares.O Monte Gargano onde está este santuário, fica perto do convento de Nossa Senhora da Graça, onde viveu e morreu o célebre estigmatizado Padre Pio de Pietrelcina, falecido há pouco, em odor de santidade.

São Miguel desprendeu dessa nuvem flechas inflamáveis e fez compreender que a tempestade fustigava os bárbaros que, espavoridos, fugiram em debandada. Estas flechas não atingiram os sipontinos que perseguiam os invasores até perto de Nápoles.
O Bispo com o povo subiram à gruta do Arcanjo e todos viram, à entrada, os traços dos pés de um homem, gravados na rocha, indicando a presença de São Miguel lágrimas nos olhos, todos beijaram comovidos estes traços, que eram testemunhas da presença angélica que os defendera.
A terceira aparição de São Miguel deu-se deste modo: No dia 8 de maio de 493, São Lourenço, o Bispo de Siponto foi com o povo ao Monte Gargano, à entrada da gruta, para agradecer a DEUS, a aparição de São Miguel. Tinha um grande desejo de lá entrar para celebrar o Santo Sacrifício da Missa, mas por respeito, não entrou.

Quem como DEUS?



 

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Como fazer a consagração ao santo Anjo da Guarda



De modo privado:
Assim como existem os votos privados, isto é, uma pessoa pode, sozinha ou diante do seu confessor, prometer a Deus a castidade, obediência e pobreza, assim também se pode fazer esta oração de consagração em particular.  Recomenda-se fazer antes uma preparação, por exemplo, em forma de uma novena.

De modo oficial, perante a Igreja:
Existe uma forma ainda mais forte e comprometedora de fazê-la.  Assim como os votos feitos dentro de uma comunidade religiosa têm um alcance diferente dos privados, também existe na Igreja um Obra que tem por finalidade conduzir os fiéis a uma união naus íntima com os Santos Anjos justamente através da consagração ao Anjo da Guarda.  É a Obra dos Santos Anjos (OA).
A Igreja aprovou tal ato de consagração no dia 31 de maio do ano 2000.
Nela, a vivência de tal Aliança receberá um efeito maior, como quando um soldado, em vez de lutar sozinho contra o inimigo, está ligado a um exército.

O que é uma consagração ao Santo Anjo da Guarda??

A idéia de consagração já se encontra no Antigo Testamento, quando Deus escolheu para Si o povo de Israel para concluir com ele uma aliança.  Deus o "consagrou" para ser Sua propriedade, separando-o dos outros povos e colocando-o a Seu serviço (cf. Ex 19,6).  No entanto, é só com Nosso Senhor Jesus Cristo que se pode falar de "consagração" no sentido próprio da palavra. Pois é Ele "Aquele que o Pai consagrou e enviou ao mundo" (Jo 10,36). A consagração original e principal, fonte de toda a consagração, é a da natureza humana de Cristo. Ele é o "Santo de Deus" (Jo 6,69) porque Sua humanidade é totalmente consagrada pela Sua divindade. Foi na Cruz que Cristo estendeu Sua consagração a nós: "Eu me consagro por eles para que também eles sejam consagrados" (Jo 17,19).

A Igreja é lugar onde acontece a nossa consagração, cuja primeira e fundamental é a do sacramento do Batismo, pela qual participamos da consagração de Cristo que é aperfeiçoado pelo sacramento da Crisma. A essa consagração , que nos une a Cristo, deve corresponder uma entrega de toda a nossa vida a Deus, pois os "santificados em Jesus Cristo" são "chamados a ser santos" (1 Cor 1,2)
Nossa consagração não é somente um dom, mas também uma tarefa. Aí há diferentes caminhos de aprofundá-la. Aqueles que são chamados para a vida consagrada aprofundam-na pela profissão dos conselhos evangélicos, na qual consagram toda a sua existência a Deus.  Mas também os leigos são convidados a viver mais plenamente a sua consagração batismal. Um caminho privilegiado para isto constitui uma "consagração" pela qual, à semelhança da consagração religiosa, a pessoa entrega a si mesma a Deus. A consagração ao Sagrado Coração de Jesus é o exemplo clássico a este respeito.

Dentre estas "consagrações" (de devoção) há também aquelas que não se dirigem exclusivamente a Deus, mas a Nossa Senhora, aos Anjos e aos Santos. No entanto, elas têm seu fim último igualmente em Deus.  Como disse São Luís de Monfortt a respeito da consagração mariana: "Quanto mais uma alma for consagrada a Maria, tanto mais será a Jesus Cristo". Coisa semelhante se pode dizer a respeito da consagração ao Anjo da Guarda. Quanto mais uma pessoa for consagrada ao seu Anjo, tanto mais este poderá ajudá-la a amar e servir a Deus e ao próximo e, desta forma, ela será mais plenamente consagrada a Deus.

Fonte: O nosso Anjo da Guarda - Uma pequena introdução à devoção aos Santos Anjos. Anápolis 2008.

terça-feira, 5 de maio de 2015

Oração ao Santo Anjo

 
 
Santo Anjo da Guarda,
Que me foste dado por Deus
Como companheiro para toda a minha vida,
Salva-me para a eternidade e
Cumpre o teu dever para comigo,
O qual te confiou o amor de Deus.
Sacode-me na minha indiferença,
E tira-me da minha fraqueza.
Fecha para mim
todo o caminho e pensamento incorretos.
Abre os meus olhos para Deus e para a cruz.
Mas fecha os meus ouvidos
Diante das insinuações do inimigo maligno.
Vigia sobre mim quando estou dormindo,
e fortalece-me durante o dia
para o dever e para cada sacrifício.
Deixa-me ser um dia tua alegria
e tua recompensa no céu.
Amém.

segunda-feira, 4 de maio de 2015

CONSAGRAÇÃO DA RÚSSIA AO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

 
 
Em partes, como se concretizou o pedido de Nossa Senhora da Consagração da Rússia ao seu Imaculado Coração, realizada pelo Papa JP II em união com os Bispos do mundo inteiro em 1984.
« E por isso, ó Mãe dos homens e dos povos, Vós que conheceis todos os seus sofrimentos e as suas esperanças, Vós que sentis maternalmente todas as lutas entre o bem e o mal, entre a luz e as trevas, que abalam o mundo contemporâneo, acolhei o nosso clamor que, movidos pelo Espírito Santo, elevamos diretamente ao vosso Coração: Abraçai, com amor de Mãe e de Serva do Senhor, este nosso mundo humano, que Vos confiamos e consagramos, cheios de inquietude pela sorte terrena e eterna dos homens e dos povos.
De modo especial Vos entregamos e consagramos aqueles homens e aquelas nações que desta entrega e desta consagração têm particularmente necessidade.
“À vossa proteção nos acolhemos, Santa Mãe de Deus”! Não desprezeis as súplicas que se elevam de nós que estamos na provação!
Depois o Papa continua com maior veemência e concretização de referências, quase comentando a Mensagem de Fátima nas suas predições infelizmente cumpridas:
Encontrando-nos hoje diante Vós, Mãe de Cristo, diante do vosso Imaculado Coração, desejamos, juntamente com toda a Igreja, unir-nos à consagração que, por nosso amor, o vosso Filho fez de Si mesmo ao Pai: “Eu consagro-Me por eles — foram as suas palavras — para eles serem também consagrados na verdade” (Jo 17, 19). Queremos unir-nos ao nosso Redentor, nesta consagração pelo mundo e pelos homens, a qual, no seu Coração divino, tem o poder de alcançar o perdão e de conseguir a reparação...
Confiando-Vos, ó Mãe, o mundo, todos os homens e todos os povos, nós Vos confiamos também a própria consagração do mundo, depositando-a no vosso Coração materno.
Oh Imaculado Coração! Ajudai-nos a vencer a ameaça do mal, que se enraíza tão facilmente nos corações dos homens de hoje e que, nos seus efeitos incomensuráveis, pesa já sobre a vida presente e parece fechar os caminhos do futuro!...
Que se revele uma vez mais, na história do mundo, a força salvífica infinita da Redenção: a força do Amor misericordioso! Que ele detenha o mal! Que ele transforme as consciências! Que se manifeste para todos, no vosso Imaculado Coração, a luz da Esperança!
A Irmã Lúcia confirmou pessoalmente que este ato, solene e universal, de consagração correspondia àquilo que Nossa Senhora queria: « Sim, está feita tal como Nossa Senhora a pediu, desde o dia 25 de Março de 1984 » (carta de 8 de Novembro de 1989). Por isso, qualquer discussão e ulterior petição não tem fundamento».
CDF “A mensagem de Fátima”, ano 2000

domingo, 26 de abril de 2015

Os Anjos apresentam nossas orações a DEUS

 
 
A oração da humanidade é realizada no alto pelos santos Anjos. Através deste ministério, a nossa oração é reforçada, reforçada e torna-se mais próxima de Deus. São Rafael fala assim a Tobias:
 
"Quando você orou com lágrimas, e enterrou os mortos, e deixou sua posição de jantar, ... eu ofereci a sua oração ao Senhor" (Tob. 12,12). 
 
Na sagrada liturgia oramos para que os Anjos possam apresentar nossas orações diante de Deus. O Anjo não só apresenta a nossa oração, mas carrega-a no ar em um recipiente precioso: "prostraram-se diante do Cordeiro, tendo cada um uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos" (Ap 5,8). 

A oração de um anjo é como um fogo, que ele mantem flamejante  fora da embarcação de sua natureza espiritual.  
 
 
 " Vi os sete anjos que se acham em pé diante de Deus; a eles foram dadas sete trombetas.  Outro anjo, que trazia um incensário de ouro, aproximou-se e ficou em pé junto ao altar. A ele foi dado muito incenso para oferecer com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro diante do trono.  E da mão do anjo subiu diante de Deus a fumaça do incenso com as orações dos santos". (Apoc. 8, 2-4).
 
Em seu ministério, o Anjo é consciente e fiel. Deus nos contempla com nosso Anjo da Guarda, como se fôssemos um. Essa unidade também tem suas características específicas. Nenhum ser no céu ou na terra é mais adequado para a nossa própria individualidade distinta do que o nosso próprio Anjo da Guarda. É por isso que a devoção ao Anjo da Guarda é particularmente rentável. Nele encontramos ajuda e proteção, ele é o nosso mais belo elogio. Nossas pobres orações balbuciante recebem sua forma mais perfeita na sua adoração. No futuro, sempre que orarmos, lembremo-nos de convidar o nosso Anjo da Guarda. Ele quer certamente rezar com a gente e ouvir as nossas orações a Deus, dando-lhes um pouco de seu próprio esplendor. Este Ministério é uma alegria para o Anjo.
 

domingo, 12 de abril de 2015

Dia da Divina Misericórdia


Senhor, que com a tua morte e ressurreição revelas o amor do Pai, nós cremos em Ti e com confiança repetimos no dia de hoje:
JESUS eu confio em Vós!

quarta-feira, 25 de março de 2015

Anunciação do SENHOR

Anunciação do SENHOR 
 O SIM DE MARIA
 
 

No início da criação, o Amor de DEUS foi manchado e quebrado pela desobediência e pela rebelião do primeiro homem, que assim perde os frutos do amor; perde a compreensão de todas as coisas, ficando assim sujeito à ignorância; perde a liberdade por causa das paixões, da dor e da morte; perde a felicidade.
Não pode mais permanecer no lugar em que DEUS o havia posto. Tem que sair. E aí, no limiar do paraíso terrestre, permanece o anjo com a espada flamejante, símbolo do amor e da justiça divina (cf. Gn 3,24).
Adão e Eva baixam a cabeça, sabem que mereceram consequências do pecado que cometeram. Dão-se conta de tudo que perderam, porque viveram em contato com o amor de DEUS, em contato com o seu ESPÍRITO que "pairava" no paraíso terrestre e era a alegria deles.
Contudo, antes que o homem e a mulher sejam expulsos, DEUS, que é amor sem limites, quer ainda expressar esse amor e promete: "Eu porei inimizade entre você (a serpente) e a mulher, entre a sua descendência e os descendentes dela. Estes vão lhe esmagar a cabeça e você ferirá o calcanhar deles" (Gn 3,15).
Diante destas palavras de DEUS, o primeiro homem e a primeira mulher erguem a cabeça e, com uma nova esperança, começam a caminhada, a caminhada da espera do SALVADOR.
A "visão daquela mulher" será a força da vida deles. O sinal da "jovem que concebeu e dará à luz um filho, e o chamará pelo nome de EMANUEL" (Is 7,14) manterá viva a esperança no povo de Israel.
MARIA, jovem de Nazaré, não sabia que era justamente ELA sobre a qual o Amor havia falado no paraíso terrestre, aquela que devia reatar os anéis de um único amor, o Amor que premiaria os justos do passado e que triunfará no final dos tempos.
MARIA não sabe disso todavia, através das escrituras, sabe que deve viver o amor e se dedica de todo o seu coração a isso, para que chegue o dia esperado desde todos os séculos: "Alegre-se, cheia de graça! O SENHOR está com você!" (Lc 1,28).
Perturbada, MARIA talvez intua. De fato, por qual motivo um anjo apareceria a uma menina? E o anjo confirma: "Não tenha medo, MARIA, você será a MÃE do EMANUEL" (cf. Lc 1,30-31). MARIA compreende, e sabe que deve estar juntos para sofrer muito: a mãe sofreria a mesma dor do FILHO.
MARIA responde!
Neste momento, podemos vislumbrar todo o drama de uma tal decisão e todo o amor de Maria. ELA, criatura humana, sabe que, aceitando, a sua vida mudará totalmente, mas se não disser o seu sim o que acontecerá com todos os seus irmãos, do mundo inteiro? O amor de DEUS não poderá se manifestar, o Paraíso permanecerá fechado...
MARIA não quer isso. ELA ama a humanidade. E então renuncia à sua paz, à sua vontade, aos seus programas. Responde "Fiat" e se torna MÃE DE DEUS, a fim de ser depois a mãe dos homens, presentes e futuros. Para ser o sinal do Amor.
Agora o anjo pode levar a DEUS a resposta DELA: "Eis a ESCRAVA DO SENHOR. Faça-se em mim segundo a sua palavra" (Lc 1,38).
A mãe começa assim a sua missão. Vamos vê-la correndo às pressas até a casa de Isabel, levando a salvação para a prima e para o menino que esta traz em seu seio (cf. Lc 1,39ss).
Logo que MARIA tem um FILHO, o entrega ao primado. E logo que o FILHO tem uma MÃE, do mesmo modo, ELE a entrega à humanidade. E assim MARIA se torna MÃE de DEUS e a mãe de dos homens. A MÃE que, ao longo de todos os séculos, está sempre pronta para ouvir a oração de seus filhos e repetir-lhes a mensagem que é a condição para ser verdadeiro filho seu e de DEUS: "Façam o que ELE mandar" (Jo 2,5).
Certamente custou muito a MARIA esquecer o seu próprio projeto de vida, a fim de abraçar o projeto que DEUS tinha escolhido para ELA.
Custa-nos também deixar um vida que nos parece de paz, de serenidade, de liberdade... Mas se DEUS nos chama para algo que não tínhamos previsto, teremos coragem de negar-lhe um amor que será fonte de muitos outros amores, que permitirá a outros irmãos ganharem a salvação? Não digamos não a DEUS.
Teremos o seu Amor, a sua amizade nesta vida e a vida eterna. Não tenhamos medo de renunciar a nós mesmos, de ter que sofrer alguma coisa por seu amor, pois JESUS nos salvou com as mãos e os pés na cruz.
Seguindo o Amor de DEUS, experimentaremos quanta alegria ELE pode nos dar nesta terra. Uma alegria profunda, interior, na certeza de que nos encontramos nele. Na certeza de que com ELE seremos artífices da salvação de muitos e muitos corações. Seremos artífices de amor em todo o mundo.
 
Padre Luigi Maria Faccenda / Fonte: www.kolbemission.org

quinta-feira, 19 de março de 2015

São José valei-nos!

Oração a São José composta pelo Papa Leão XIII

 

A Vós, São José, recorremos em nossa tribulação, e depois de ter implorado o auxílio de vossa Santíssima Esposa, cheios de confiança solicitamos também o vosso patrocínio. Por esse laço sagrado de caridade, que vos uniu á Virgem Imaculada, Mãe de Deus, e pelo amor paternal que tivestes ao Menino Jesus, ardentemente vos suplicamos que lanceis um olhar benigno para a herança, que Jesus Cristo conquistou com o seu sangue, e nos socorrestes, em nossas necessidades, com o vosso auxílio e poder. Protegei, ó guarda providente da Divina Família, a linhagem eleita de Jesus Cristo. Afastai para longe de nós, ó Pai amantíssimo, a peste do erro e do vício que arruína o mundo. Assisti-nos propício do alto do Céu, ó nosso fortíssimo Protetor, na luta contra o poder das trevas; e assim como outrora salvastes da morte a vida ameaçada do Menino Jesus, assim também agora defendei a Santa Igreja de Deus contra as ciladas de seus inimigos e contra toda a adversidade. Amparai a cada um de nós com o vosso constante patrocínio, afim de que, a vosso exemplo e sustentados com o vosso auxílio, possamos viver virtuosamente, piedosamente morrer e obter no Céu a eterna bem-aventurança.  Assim seja.

(Acrescentando esta oração a reza do Santo Rosário, durante a Santa Missa ou diante do Santíssimo Sacramento exposto, durante todo o mês de Outubro, lucra-se a indulgência de 7 anos e 7 quarentenas cada vez; rezando-a em outro qualquer tempo, 300 dias de indulgência uma vez por dia. Si se reza esta oração não precedida do Rosário, deixemos as palavras: depois de ter implorado o auxílio de vossa Santíssima Esposa). 

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Programar-se para uma boa Quaresma

Para bem vivenciar a Quaresma é necessário programar-se.

 
Faça seu planejamento, colocando numa cartela escrita que observâncias você realizará, com a graça de Deus. Eis o que se deve planejar:

1. Oração - deve-se fazer algo a mais na oração diária: um salmo ou mais, a via sacra, etc...

2. Penitência - deve-se necessariamente retirar algo do alimento, exceto aos domingos. Também é importante mortificar nossa vontade e nossos sentidos com alguma outra renúncia (a algum hábito, a algo de que se goste...).

3. Esmola - é a caridade fraterna. Um perdão, uma ajuda material ou espiritual, uma aproximação, uma visita, as obras de misericórdia...

4. Vicio a ser combatido - o vício é um mau hábito, que termina por nós impedir de caminhar livremente para o Senhor. Temos vários. Escolha um e procure combatê-lo com firmeza e coragem no tempo quaresmal.

5. Leitura espiritual - escolha um bom livro, que alimente a fé e o amor ao Senhor, para ler neste tempo.

6. Lectio divina - escolha um livro da Escritura para lê-lo do começo ao fim no período quaresmal. Mais aconselháveis seriam o Êxodo ou o Deuteronômio ou o Evangelho de Marcos.
 
Fonte: visaocristaodomhenrique.blogspot.com

Aparições do Anjo de Portugal - continuação

Segunda aparição do Anjo

No verão de 1916, quando os três pastorinhos brincavam no terreiro da casa dos pais de Lúcia, aparece-lhes novamente o Anjo. Ele lhes diz, segundo a narração da Irmã Lúcia:
“- Que fazeis? Orai! Orai muito! Os Corações Santíssimos de Jesus e Maria têm sobre vós desígnios de misericórdia. Oferecei constantemente ao Altíssimo orações e sacrifícios.
...
- Como nos havemos de sacrificar? – perguntei.
- De tudo o que puderdes, oferecei a DEUS sacrifício, em ato de reparação pelos pecados com que ELE é ofendido, e súplica pela conversão dos pecadores. Atraí assim sobre a vossa pátria a paz. Eu sou o Anjo da sua guarda, o Anjo de Portugal. Sobretudo, aceitai e suportai com submissão o sofrimento que o Senhor vos enviar.”

Terceira aparição do Anjo

No fim do verão ou princípio do outono do mesmo ano, novamente na Loca do Cabeço, deu-se a última aparição do Anjo, descrita pela Irmã Lúcia nos seguintes termos:
“Depois de termos merendado, combinamos ir rezar na gruta, que ficava do outro lado do monte. [...] Logo que aí chegamos, de joelhos, com os rostos em terra, começamos a repetir a oração do Anjo: Meu DEUS! Eu creio, adoro, espero e amo-Vos! Etc. Não sei quantas vezes tínhamos repetido esta ...oração, quando vemos que sobre nós brilha uma luz desconhecida. Erguemo-nos para ver o que se passava, e vemos o Anjo tendo na mão esquerda um cálice, sobre o qual está suspensa uma Hóstia, da qual caem algumas gotas de Sangue dentro do cálice.”
Deixando o cálice e a Hóstia suspensos no ar, o Anjo prostrou-se em terra junto às crianças e fê-las repetir três vezes a oração:
“SANTÍSSIMA TRINDADE, PAI, FILHO, ESPÍRITO SANTO, ofereço-Vos o PRECÍOSISSIMO CORPO, SANGUE, ALMA E DIVINDADE de JESUS CRISTO, presente em todos os sacrários da Terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos de seu Santíssimo Coração [de JESUS] e do CORAÇÃO IMACULADA de MARIA, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores”.
Depois, levantando-se, deu a HÓSTIA a Lúcia, e o cálice, deu-o a beber a Francisco e Jacinta, dizendo:
“- Tomai e bebei o CORPO e o SANGUE de JESUS CRISTO, horrivelmente ultrajado pelos homens ingratos! Reparai os seus crimes e consolai o vosso DEUS.”
As palavras do Anjo produziram profunda impressão nas três crianças, as quais, a partir de então, começaram a expiar pelos pecadores por meio de sacrifícios e de uma assídua vida de oração.
E prostrando-se de novo em terra, repetiu conosco outras três vezes a mesma oração: ‘SANTÍSSIMA TRINDADE …’ e desapareceu.
Nós permanecemos na mesma atitude, repetindo sempre as mesmas palavras; e quando nos erguemos, vimos que era noite e, por isso, horas de virmos para casa.”



Fonte: Arautos do Evangelho
 

Anjo de Portugal

Celebrando ontem, a memória dos Beatos Francisco e Jacinta, recordamos também a Aparição do Anjo e as orações ensinadas por ele aos pastorinhos.
Rezemos, sempre!!

- 'Meu DEUS! Eu creio, adoro, espero e amo-Vos! Peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e Vos não amam!'

O Anjo de Portugal e os Pastorinhos


Primeira aparição:
As aparições de NOSSA SENHORA em Fátima foram precedidas por três visões que Lúcia, Francisco e Jacinta tiveram do Anjo de Portugal, ou da Paz. Por meio dos colóquios com o Anjo, a Providência predispunha as crianças para o momento em que NOSSA SENHORA lhes falaria.
Primeira aparição do Anjo
As aparições do Anjo ocorreram entre abril e outubro de 1915, em uma colina próxima da Cova da Iria, denominada Cabeço. Algumas manifestações sobrenaturais antecederam a aparição do Anjo. Lúcia, e mais três outras meninas, viram pairar sobre o arvoredo do vale, uma espécie de nuvem alvíssima com forma humana, “uma figura, como se fosse uma estátua de neve, que os raios do sol tornavam ainda mais transparente”, segundo as palavras de Lúcia. Em dias diferentes, esta aparição se repetiu duas vezes.
Foi na Loca do Cabeço, onde, um dia de primavera de 1916, que o Anjo apareceu claramente pela primeira vez. Depois de rezar, as crianças estavam brincando quando um forte vento sacudiu as árvores. Elas vêem, então, caminhando sobre o olival em sua direção, um jovem resplandecente e de grande beleza, aparentando ter 15 anos, de uma consistência e um brilho como o do cristal atravessado pelos raios do sol. A Irmã Lúcia assim conta o que se seguiu:
“Ao chegar junto de nós, disse: - 'Não temais! Sou o Anjo da Paz!'. E, ajoelhando em terra, curvou a fronte até o chão e fez-nos repetir três vezes estas palavras:

- 'Meu DEUS! Eu creio, adoro, espero e amo-Vos! Peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e Vos não amam!'

Depois, erguendo-se, disse: - 'Orai assim. Os Corações de JESUS e MARIA estão atentos à voz das vossas súplicas'. E desapareceu.
A atmosfera de sobrenatural que nos envolveu era tão intensa que quase não nos dávamos conta da própria existência por um grande espaço de tempo, permanecendo na posição em que nos tinha deixado, repetindo sempre a mesma oração. A presença de Deus sentia-se tão intensa e íntima que nem mesmo entre nós nos atrevíamos a falar. No dia seguinte, sentíamos o espírito ainda envolvido por essa atmosfera que só muito lentamente foi desaparecendo.”
Fonte: Arautos do Evangelho

Pastorinhos de Fátima

Ontem celebramos a Festa Litúrgica dos Pastorinhos de Fátima: Francisco e Jacinta Marto.


Em 1917, os dois irmãos e uma prima, a pequena Lúcia dos Santos, assistiram a seis aparições de Nossa Senhora de Fátima, entre maio e outubro. A Virgem fez a eles revelações que mais tarde ficaram conhecidas como o "Segredo de Fátima".
NOSSA SENHORA apareceu para eles, primeiramente, na Cova da Iria, em Portugal, por volta do meio dia. Depois de rezarem o terço, como habitualmente faziam, viram uma luz brilhante; julgando ser um relâmpago, decidiram ir-se embora, mas, logo abaixo, outro clarão iluminou o espaço, e viram em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), uma "SENHORA mais brilhante que o sol", de cujas mãos pendia um terço branco.
Lúcia, na segunda aparição, havia pedido à VIRGEM de Fátima que os levasse para o Céu..."Sim, à Jacinta e ao Francisco levo-os em breve. Mas tu ficas cá mais algum tempo para Me fazer conhecer e amar. (...)", foi a resposta de NOSSA SENHORA.
Jacinta e Francisco esperaram, assim, o cumprimento da promessa de que a VIRGEM MARIA os levaria em breve para o Céu. Pouco mais de um ano, após as aparições na Cova da Iria, Francisco e Jacinta adoeceram gravemente, atacados de bronco-pneumonia. Continuavam com os sacrifícios e penitências, fervorosamente. E percebiam que aquela doença devia conduzi-los ao Céu.
Nas aparições, NOSSA SENHORA pede aos Pastorinhos que façam sacrifícios pelos pecadores. Relatando a Lúcia*, Jacinta contava:
"NOSSA SENHORA veio nos ver, e disse que vem buscar o Francisco muito breve para o Céu. E a mim perguntou-me se queria ainda converter mais pecadores. Disse-lhe que sim. Disse-me que ia para um Hospital, que lá sofreria muito. Que sofresse pela conversão dos pecadores, em reparação dos pecados contra o Imaculado Coração de MARIA, e por amor de JESUS. Perguntei se tu ias comigo. Disse que não. Isso é o que me custa mais. Disse que ia minha mãe levar-me, e, depois, fico lá sozinha!
Em suas últimas palavras, Jacinta fala sobre o pecado, sobre os sacerdotes e os governantes e sobre as virtudes cristãs, surpreendendo pelas análises acertadas e profeticamente tão reais para nossos dias.
Francisco partira para o Céu no dia 04 de abril de 1919. NOSSA SENHORA veio buscar Jacinta no dia 20 de fevereiro de 1920. Os processos de beatificação do Francisco e da Jacinta deram os seus primeiros passos em 1952. Em 1989, Papa João Paulo II assinou o decreto da heroicidade das virtudes dos irmãos, abrindo caminho à beatificação, que aconteceu no ano 2000, depois de comprovado um primeiro milagre alcançado pela sua intercessão. Como Jacinta foi a última dos irmãos a falecer, a data de sua morte foi escolhida para a celebração litúrgica dos Beatos.
Para que se complete o processo de canonização dos Beatos Francisco e Jacinta, falta apenas que um milagre se dê através da sua intercessão. “Olhando hoje a vida destas duas crianças conseguimos intuir que viveram os apelos com que NOSSA SENHORA os desafiou, de tal forma que olhá-los é olhar uma concretização da mensagem de Fátima”.
Fontes: Associação Católica NOSSA SENHORA de Fátima / Santuário de Fátima
Beatos Francisco e Jacinta, rogai por nós

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Passio Domini

Hoje é dia de Contemplarmos a PAIXÃO de CRISTO (PASSIO DOMINI)
 


 Sugestão de roteiro/orações:

Parte I ...

1) O Angelus da Paixão

V. O Anjo do SENHOR levou ao Monte das Oliveiras o cálice do fortalecimento.

R. E o SENHOR recebeu do Coração do PAI a força do sacrifício para a redenção.

AVE MARIA...

v. O SENHOR disse do alto da Cruz: “Tudo está consumado”

r. E, pela Sua morte, trouxe-nos a salvação.

AVE MARIA...

v. A vitória da redenção do SENHOR brilha sobre o tempo e a eternidade.

r. O Vosso amor, SENHOR JESUS CRISTO, abriu-nos o Céu!

AVE MARIA...

V. Lembrai-Vos de nós, SENHOR, no Vosso Reino.

R. E não nos meçais segundo os nossos pecados, mas segundo a Vossa Misericórdia.

Oremos:

SENHOR DEUS, PAI Celestial, que nos destes Vosso FILHO Unigênito para nos redimir pela Sua morte na Cruz, tornai eficaz em todos nós fruto da redenção. Mandai os Vossos Santos Anjos a nos ajudarem, a fim de que, por meio deles, reconheçamos sempre melhor este grandioso ato da redenção, sigamos sempre mais consciente a Palavra e a Vontade de DEUS e, um dia, possamos agradecer-Vos com todos os Santos Anjos por toda eternidade. Amém

2) Oração em Benefício dos Sacerdotes

Meu DEUS e PAI do Céu, naquela noite no jardim das Oliveiras, Vosso FILHO disse a Pedro: “Crês” tu que não posso apelar para Meu PAI que prontamente enviaria mais do que doze legiões de Anjos para Minha defesa? (MT 26,53)

PAI, pedimos-Vos agora: enviai essas doze legiões de Anjos com “cálices do fortalecimento” ao “Getsemani” da Santa Igreja para defender e assistir nossos sacerdotes, afim de que, fortalecidos pelo poder e presença desses Anjos, possam realizar fielmente sua missão sacerdotal. Amém

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Os Anjos

(CIC 331)
"CRISTO é o Centro do mundo angélico.
São seus os Anjos: 'Quando o FILHO do homem vier em Sua Glória com todos os seus anjos...' (Mt 25,31). São seus porque foram criados por e para ELE: “Pois foi nEle que foram criadas todas as coisas, nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis: Tronos, Dominações,Principados, Potestades; tudo foi criado por ELE e para ELE' (Cl 1,16). São seus, mais ainda, porque ELE os fez mensageiros de seu projeto de salvação.
...
'Porventura não são todos eles espíritos servidores, enviados ao serviço dos que devem herdar a salvação?' (Hb 1,14)"
 

sábado, 7 de fevereiro de 2015

7 de fevereiro - Tobias



São João Bosco escreveu a história sagrada pondo em linguagem acessível a seus jovens alunos as comoventes passagens bíblicas. Destas, uma das mais belas é a narração da viagem de Tobias, que teve por anjo da guarda o próprio São Rafael, "um dos sete espíritos que estamos continuamente na presença de Deus".
Enviado pelo pai - também chamado Tobias - a uma terra desconhecida, o jovem viajante pediu a um desconhecido que o acompanhasse, o qual era um anjo que assumira aspecto humano, e que dissera conhecer o caminho. Tobias, além de cumprir a missão retornou com um remédio para curar a cegueira que seu genitor adquirira em um acidente. Recobrada a visão, pôde o velho Tobias ver a esposa do filho - que se casara na viagem - e as riquezas trazidas no retorno. E, para surpresa de todos, no momento dos agradecimentos o guia da viagem revelou-se como sendo o arcanjo Rafael.
São Rafael é atualmente considerado como o padroeiro dos viajantes.
A HISTÓRIA DE TOBIAS
O reino de Israel durou duzentos e cinquenta e quatro anos, e teve dezenove reis, todos ímpios. Frequentemente mandou-Ihes Deus profetas para admoestá-los e levá-los a eles e a seus súditos à prática do verdadeiro culto, mas inutilmente. As ameaças dos profetas foram desprezadas e os mesmos profetas foram encarcerados, exilados ou mortos. Tan­tas iniquidades esgotaram a misericórdia do Senhor, que entregou o povo e o rei de Israel nas mãos de seus inimigos. O último rei de Israel foi Oséias, sob cujo governo teve fim aquele reino.
No princípio ele tentou libertar-se do jugo dos Assírios de quem se tinha tornado tributário; mas, indignado, Salmanassar, rei da Assíria, marchou com poderoso exército para expugnar Samaria. Depois de três anos de cerco, apoderou-se da cidade, prendeu Oséias e meteu-o a ferros. Depois de submeter todo o reino ao seu poder, levou o rei e o povo para a Assíria e para a Média, donde não mais voltaram.
Os Israelitas na Assiria
Os Israelitas padeceram na Assíria duríssima escravidão; muitas vezes faltou-lhes um pedaço de pão para matarem a fome e um trapo para se vestirem. Muitos foram assassinados e seus cadáveres atirados fora dos muros da cidade para servirem de pasto às aves de rapina e a outros animais ferozes, sem que se lhes pudesse dar sepultura, sendo isto proibido por uma lei desumana. Assim aquele povo, que fora surdo aos repetidos avisos dos profetas do Senhor, pagava o duro preço de suas infidelidades.
Virtude de Tobias
Deus, que é sempre bom, mandou um consolador aos pobres Israelitas. Foi o piedoso Tobias, homem educado no santo temor de Deus, grandemente estimado pela sua piedade e paciência.
Levado ao cativeiro com os outros, à vista de seus irmãos oprimidos, dedicou-se ao santo mister de consolar os aflitos, de alimentar e vestir os necessitados e sepultar os mortos. Quando sabia que um Israelita morto era atirado em qualquer canto, deixava o que estava fazendo e 'aproveitava da escuridão da noite para enterrá-lo.
O rei cruel, tendo notícia de semelhantes fatos e de como Tobias dispensava seus bons ofícios aos seus irmãos de exílio, mandou que fosse espoliado de todos os bens e condenado à morte. Apesar disso, o Senhor conservou-lhe a vida: fugindo à cólera do rei, ficou escondido por algumas pessoas piedosas, em companhia de sua mulher e seu filho. Pouco depois, tendo sido assassinado esse rei cruel, pôde Tobias continuar no desempenho de seu piedoso mister. Um dia, tendo-se sentado à mesa para jantar, veio seu filho adverti-lo de que haviam deixado na praça um cadáver. Levantou-se imediatamente da mesa, foi buscar o cadáver e o ocultou em casa, sepultando-o depois durante a noite, mostrando assim quanto era constante e qual o seu ardor no exercício da caridade.
Paciência de Tobias
A virtude de Tobias foi experimentada por Deus com grandes tribulações. Uma ocasião, após ter passado a noite inteira a dar sepultura aos mortos, voltava para casa ao clarear do dia, e prostrado de cansaço deitou-se perto de um muro sobre o qual havia um ninho de andorinhas, e ali adormeceu. Durante o sono caiu-lhe nos olhos um pouco de cisco quente do ninho daqueles passarinhos e ficou cego. Nesse mísero estado, conservou-se sempre fiel ao Senhor. Nada temia tanto como o pecado e até a sombra dele. Sua mulher que o sustentava com o seu trabalho, levou para casa um dia um cabrito que lhe haviam dado como paga. O cego, ouvindo-o berrar, disse: Vê lá que esse cabrito não tenha sido roubado! Se o foi, mulher, volta imediatamente a restituí-lo ao seu dono. Não devemos lançar mão da mínima coisa pertencente aos outros.
Recomendações de Tobias
Oprimido por tantas desventuras, Tobias pediu ao Senhor que o chamasse à outra vida. Supondo que Deus ouvira o seu pedido, deu ao filho estas lembranças: Meu filho: recomendo-te que respeites sempre tua mãe e nunca te esqueças do que ela sofreu por ti. Não se apague ele tua mente a imagem de teu Deus e guarda-te do pecado e de fazer algo contra os mandamentos divinos. Tem compaixão dos pobres e Deus terá compaixão de ti. Faze esmola; se tiveres pouco, desse mesmo pouco dá o que puderes, mas dá de boa vontade. A esmola apaga os pecados, faz achar misericórdia diante de Deus e conduz à vida eterna. Nas dúvidas, aconselha-te com homens prudentes, mas não te associes nunca aos perversos. Foge da soberba e preserva-te da impureza.
O filho, todo comovido, respondeu-lhe: Meu pai, farei tudo quanto me disseste. E manteve fielmente a sua promessa.
Tobias manda seu filho a Rages
O bom Tobias não morreu então, como supunha. O Senhor conservou-lhe a vida para fazê-lo gozar inefáveis, consolações, por meio de seu filho chamado também Tobias. Um dia disse o velho a seu filho: Tobias, emprestei dez talentos de prata a Gabael, que reside em Rages, cidade da Média. Eis o documento relativo. Apresentando-lhe, ele te restituirá logo o dinheiro. Mas como tu não sabes o caminho, vai procurar algum amigo fiel que te possa guiar. O filho obediente saiu de casa e encontrou um jovem prestes a empreender uma viagem. Ignorando que o desconhecido fosse um anjo de Deus, disse-lhe delicadamente: Bom jovem, quem és tu? Conheces a estrada que conduz à Média? E o jovem respondeu: Eu sou Israelita e conheço bem o caminho de que falas, pois morei muito tempo em Rages, na casa de Gabael. Tobias, com o consentimento do pai, partiu com o anjo Rafael, que disfarçado sob aparência humana e sem dar-se a conhecer, prontificou-se a acompanhá-lo.
Chegando à margem do Tigre, um peixe monstruoso atacou o jovem Tobias, e já parecia que ia devorá-lo, quando o Arcanjo lhe disse que não temesse e que segurasse o peixe, o matasse e lhe tirasse o fígado, com o qual faria um remédio para curar o pai.
Uma viagem iniciada sob tão bons auspícios não podia terminar senão próspera e feliz. E de fato, o anjo não só fez com que Tobias recebesse o dinheiro que fora buscar, como também procurou, e conseguiu que o mesmo desposasse uma rica e virtuosíssima donzela de nome Sara, filha única de Raguel.
Volta do filho. Cura e santa morte do pai
Entretanto, Tobias e sua mulher esperavam ansiosos pela demora. Muitas vezes a mãe, do alto de um monte, procurava impaciente ver se o descobriria ao longe. Por muitos dias foi vã a sua expectativa. Finalmente avistou-o um dia e satisfeitíssima, correu a dar a boa nova ao marido. O velho Tobias, apesar de cego, quis ir ao encontro do amado filho. Os pais o abraçaram com ternura. Isto era apenas o início das grandes consolações que ao velho Tobias queria a bondade divina conceder.
O jovem Tobias unge os olhos do pai com o fel do peixe, e o velho imediatamente recupera a vista, e pode ver, não somente o filho amado, mas ainda observa a esposa, admira suas singulares qualidades e as grandes riquezas que trouxera consigo. Espalhada a noticia da volta do filho de Tobias e de como o bom pai tinha sido curado, seus parentes se reuniram para dar graças ao Senhor e festejar o acontecimento. Em presença de todas essas pessoas, enumerou o filho os solenes benefícios que havia recebido do companheiro de viagem, que ainda julgava ser um homem. Querendo de alguma maneira recompensá-lo, pediram-lhe quisesse aceitar metade das riquezas que havia trazido. O anjo então deu-se a conhecer e disse ao velho: Agora é tempo de eu manifestar a verdade. Quando sepultavas os mortos e te ocupavas em obras pias ou em fervorosas orações, eu oferecia tudo ao Senhor. E porque ele te amava, quis que a cegueira aumentasse teu merecimento; depois mandou-me Deus a mim para curar-te e trazer-te todos estes bens. Pois que eu sou o anjo Rafael, um dos sete espíritos que estamos continuamente na presença de Deus. Louvai, pois, ao Senhor e contai a todos as suas maravilhas. Dito isto, desapareceu. Eles ficaram por três horas prostrados no chão bendizendo o nome de Deus.
Tobias viveu ainda quarenta e dois anos; sentindo, depois, que se avizinhava a hora de sua morte, chamou o filho e recomendou-lhe que se mantivesse fiel e constante no santo serviço de Deus. Depois serenamente expirou, na paz do Senhor, com cento e dois anos de idade.
O filho atingiu a idade de noventa e nove anos. Ele, seus filhos e netos imitaram as virtudes paternas; por isso foram sempre benquistos dos homens e abençoados por Deus.
FONTE: texto extraído de História Sagrada, de São João Bosco (Livraria Salesiana Editora, São Paulo, 1944, 8 ed), com adequação redacional-ortográfica.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Santo Anjo da Guarda, estou consciente de sua presença?

Já passamos da metade do primeiro mês do novo ano, que trouxe consigo muitos desejos e bons propósitos. "Ano novo, vida nova”, costuma-se dizer.


 
 O que acontece é que, ao longo de um ano, vamos experimentando nossas fraquezas e limitações, bem como nosso pecado. Muitas vezes, nós nos sentimos frágeis e fracos; outras vezes, consideramo-nos fortes e capazes de vencer qualquer obstáculo.
 
 Tudo isso é uma confirmação da complexidade que existe em nosso ser. Somos seres complexos, nosso ser e agir passam de um estado a outro.
 
 É por este motivo que convido você a aproveitar este novo ano para cultivar uma amizade especial com seu anjo da guarda. Não se esqueça da presença desse companheiro, desse amigo que Deus enviou para proteger o que é autenticamente seu e o que o constitui como pessoa: seu “eu”.
 
Você foi criado à imagem e semelhança de Deus. Que este seja um ano no qual essa imagem de Deus possa se plasmar cada vez mais em você; que essa semelhança se irradie em suas ações e em seu viver.
 
 Esta amizade com o anjo não depende do seu signo do zodíaco, nem do dia em que você nasceu, nem de técnicas, cores ou aromas.
 
 A amizade com o anjo depende de um desígnio de Deus. O próprio Deus quis lhe enviar um amigo para proteger, custodiar essa imagem dele que há em você.
 
 Seu anjo da guarda vê continuamente o rosto do Pai que está nos céus (Mt 18, 10) e, como recorda Romano Guardini, em Deus, o anjo vê a verdade do homem de uma maneira própria; o anjo lê esta verdade, vê como ela é ameaçada pela fraqueza do ser humano. Por isso, ele conhece a pessoa que é sua amiga, tanto no admirável quanto no precário, até o fundo de sua intimidade.
 
 O anjo da guarda se interessa por toda a sua vida; nada do que lhe acontece é indiferente para o seu anjo.
 
 Neste ano que começa, você não está sozinho: seus propósitos e desejos vão se realizar na medida em que você puder contar com alguém ao seu lado, que o conhece e o vê à luz do amor de Deus.
 
 Seu anjo não o julga e não o condena, só deseja que você consiga ser aquilo para o qual foi criado pelo próprio Deus.
 
 Que neste ano cresçamos em santidade, em autenticidade; que deixemos os medos que nos paralisam e nos esforcemos por superar as limitações e fraquezas que nos impedem de continuar.
 
 Acudamos ao anjo, pois ele nos traz a luz de Deus e nos reconfortará nos momentos difíceis e tristes, nos fortalecerá nos momentos de abatimento, nos consolará em cada instante da nossa vida.
 
 Não se deixe enganar pelos falsos horóscopos dos anjos e mensagens dos anjos segundo a hora do seu nascimento. Isso entristece seu anjo da guarda.
 
 Reze e una-se ao seu anjo, dizendo-lhe: “Santo anjo do Senhor...”. Reze e saúde Nossa Senhora ao meio-dia, com a oração do Ângelus. Confie seu dia ao anjo da guarda ao acordar; agradeça-lhe à noite pela assistência que lhe deu e pela oração que lhe proporcionou.

sábado, 17 de janeiro de 2015

A união do homem e Anjo

Jesus Cristo não é só o centro dos homens, mas também dos Anjos: «Cristo é o centro do mundo angélico. São seus os Anjos... São seus porque foram criados por e para Ele... São seus, mais ainda, porque Ele os fez mensageiros de seu projeto de salvação» (CIC 331). «Eles aí estão, desde a criação e ao longo de toda a História da Salvação, anunciando de longe ou de perto esta salvação e servindo ao desígnio divino de sua realização» (CIC 332). Por isso, este serviço se refere ao próprio Verbo encarnado e ao Seu Corpo na terra, a Igreja. «Desde a Encarnação até a Ascensão, a vida do Verbo Encarnado é rodeada da adoração e do serviço dos Anjos... Protegem a infância de Jesus, servem a Jesus no deserto, confortam-no na agonia, embora tivesse podido ser salvo por eles da mão dos inimigos, como outrora fora Israel. São ainda os anjos que “evangelizam”, anunciando a Boa Nova da Encarnação e da Ressurreição de Cristo. Estarão presentes no retorno de Cristo, que eles anunciam, a serviço do juízo que o próprio Cristo pronunciará» (CIC 333).
 
«Do mesmo modo, a vida da Igreja se beneficia da ajuda misteriosa e poderosa dos Anjos» (CIC 334). «Em sua Liturgia, a Igreja se associa aos Anjos para adorar o Deus três vezes Santo; ela invoca a sua assistência... Além disso; festeja mais particularmente a memória de certos Anjos (S. Miguel, S. Gabriel, S. Rafael, os Anjos da guarda)» (CIC 335).
 
Deste modo, «desde o início até a morte, a vida humana é cercada sua proteção e por sua intercessão. “Cada fiel é ladeado por um Anjo como protetor e pastor para conduzi-lo à vida”. Ainda aqui na terra, a vida cristã participa na fé da sociedade bem-aventurada dos Anjos e dos homens, unidos em Deus” (CIC 336). Com razão, portanto, a «Igreja venera os Anjos que a ajudam em sua peregrinação terrestre» (CIC 352).A ajuda dos Santos Anjos e a união dos homens com eles permitem a estes viver melhor a fé e também testemunhá-la com mais força e convicção.
 
Os Santos Anjos, com efeito, contemplam continuamente a face de Deus (cf. Mt 18,10) e vivem em constante adoração. De modo particularmente eficaz podem, por conseguinte, iluminar os fiéis que se abrem conscientemente à sua ação, sendo estes fiéis ajudados por eles a contemplar na fé os mistérios divinos: Deus mesmo e as suas obras (theologia e oikonomia) (cf. CIC 236), a crescer no conhecimento e no amor de Deus, a permanecer na Sua presença e a realizar uma adoração particularmente reverente e amorosa, dedicando-se à maior glorificação de Deus.
 

domingo, 4 de janeiro de 2015

Epifania do Senhor



Hoje celebramos a festa da Epifania do Senhor; Epifania é uma palavra de origem grega que significa “manifestação”. O menino-Deus que se manifesta a toda a humanidade representada no Evangelho de hoje nas pessoas dos magos que vieram do Oriente seguindo a estrela guia (cf. Mt 2,1- 12).
 
Chamo a sua atenção no evangelho, entre tantas coisas, para duas em especial: os presentes e a estrela.
Os magos não compareceram diante do menino Jesus em Belém de mãos vazias, trouxeram ouro, incenso e mirra reconhecendo também para todo mundo a REALEZA, A DIVINDADE E A HUMANIDADE do filho de Deus; os magos, que eram pagãos souberam entender os sinais e a grandeza do acontecimento e levaram presentes e nós o que levamos para Jesus?
 
Com nosso Santo Anjo da Guarda, rogamos a DEUS para ter a sabedoria de entender e amar, amar e entregar, amar e ser o que DEUS quer que sejamos.

sábado, 3 de janeiro de 2015

festa do Santíssimo Nome de Jesus

Depois da Oitava de Natal, a Igreja celebra a importante festa do Santíssimo Nome de Jesus.
 
Sabemos que segundo a Lei de Moisés, todo menino era circuncidado no oitavo dia e era o pai quem lhe dava o nome. São José teve a honra de ser encarregado por Deus para dar o nome ao divino Menino. O arcanjo Gabriel disse à Virgem Maria: “Eis que conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus” (Lc 1, 30-31).
 
E depois o mesmo Arcanjo o confirma em sonho a José: “Ela dará à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo de seus pecados” (Mt 1, 20-21). “Completados que foram os oito dias para ser circuncidado o menino, foi-lhe posto o Nome de Jesus” (Lc 2, 21).
Assim, o Santíssimo Nome de Jesus foi dado pelo céu; por isso tem poder.
 
Note que São Gabriel deixou claro a José a razão deste nome: “porque ele salvará o seu povo de seus pecados”. A palavra Jesus em Hebraico quer dizer “Deus Salva” ou Salvador. Então, pronunciar o nome de Jesus com fé, é toma-lo como divino salvador.
 
É no Nome de Jesus que os pecados são perdoados. “O Filho do Homem tem poder de perdoar pecados na terra” (Mc 2, 10). Ele pode dizer ao pecador: “Teus pecados estão perdoados” (Mc 2,5). E ele transmite esse poder aos homens – os Apóstolos – (Jo 20, 21-23) para que o exerçam em seu Nome.